Vencedores da Medalha Fields

Vencedores da Medalha Fields

O iraniano Caucher Birkar, o italiano Alessio Fegalli, o alemão Peter Scholze e o indiano Akshay Venkatesh são os vencedores da Medalha Fields, entregues na manhã desta quarta-feira (1º) na cerimônia de abertura do Congresso Internacional de Matemáticos (ICM 2018), no Rio de Janeiro.

Mais importante prêmio da Matemática mundial, a Medalha Fields é entregue a cada quatro anos, sempre durante o ICM, a notáveis e promissores matemáticos, com até 40 anos de idade. Concedida pela primeira vez em 1936, a láurea é um reconhecimento a trabalhos de excelência e um estímulo a novas realizações.

O Pavilhão 6 do centro de convenções e eventos Riocentro foi tomado pelos cerca de 2.500 congressistas de todos os continentes que vieram ao Rio participar do ICM 2018. O anúncio dos medalhistas foi o ponto alto da solenidade. No mundo acadêmico, costuma-se comparar a Medalha Fields a uma espécie de Prêmio Nobel da Matemática.

 

Caucher Birkar

Primeiro a ser anunciado, Caucher Birkar, nascido em 1978 em uma família de fazendeiros no Irã, na fronteira com o Iraque, testemunhou a guerra entre os dois países. Apesar do conflito e das dificuldades econômicas, ele se interessou por Matemática. Aprendeu com o irmão mais velho conteúdos avançados e fez do saber, profissão.

Após o bacharelado em Matemática na Universidade de Teerã, Birkar mudou-se para o Reino Unido. Concluiu o PhD com a tese “Topics in modern algebraic geometry”. Sua principal área de interesse é a geometria birracional. Dedicou-se a aspectos fundamentais de problemas-chave na Matemática moderna – como modelos mínimos, variedades de Fano e singularidades. Seus trabalhos solucionaram conjecturas antigas.

Professor da Cambridge University há 12 anos, Birkar recebeu a Fields pela prova da /limitação das variedades Fano e pela contribuição ao Programa de Modelo Mínimo. Ele tem outras premiações. Em 2010, recebeu o Philip Leverhulme.Prize e foi laureado pela Fondation Sciences Mathématiques de Paris – em conjunto com Paolo Cascini (Imperial College London), Christopher Hacon (Universidade de Utah) e James McKernan (Universidade da Califórnia, San Diego) – pelo artigo “Existence of minimal models for varieties of log general type”, considerado revolucionário para a área. Pelo trabalho, o quarteto recebeu o Prêmio Moore 2016, da American Mathematical Society.

Alessio Figalli

Segundo a ser anunciado, Alessio Figalli é italiano de Nápoles, nascido em 2 de abril de 1984. Ele foi premiado pelas contribuições à teoria do transporte ideal e suas aplicações em equações diferenciais parciais, geometria métrica e probabilidades.

A Olimpíada Internacional de Matemática (IMO) o despertou para o tema e, ao ingressar na Scuola Normale Superiore di Pisa, escolheu a Matemática. Concluiu em 2007 o doutorado na École Normale Supérieure de Lyon (França), sob orientação de Cédric Villani, também distinguido com a Medalha Fields.

Em 2010, foi pesquisador do Centro Nacional de Pesquisa Científicas da École Polytechnique e da Universidade do Texas (EUA). Hoje leciona na Escola Técnica Federal (ETH) de Zurique (Suíça). Figalli foi palestrante convidado no ICM 2014, em Seul (Coreia do Sul). Conquistou os prêmios Peccot-Vimont (2011), EMS (2012), Cours Peccot (2012), Medalha Stampacchia (2015) e Feltrinelli (2017).

Peter Scholze

Peter Scholze foi o terceiro vencedor da Fields anunciado na cerimônia. Aos 30 anos, o alemão de Dresden é um dos matemáticos mais influentes do mundo. Aos 24 anos, já se tornara professor titular da Universidade de Bonn.

Scholze foi contemplado com a Fields, entre outras razões, pelas contribuições ao desenvolvimento de novas teorias cosmológicas e pelo trabalho de excelência desenvolvido na área de geometria aritmética algébrica.

O matemático concluiu a graduação e o mestrado em cinco semestres. Começou a ganhar notoriedade aos 22 anos, ao sintetizar em 37 páginas as 288 de uma prova complexa da teoria dos números. Especialista em geometria algébrica aritmética, ele se destaca pela capacidade de enxergar com profundidade a natureza dos fenômenos matemáticos e simplificá-los em apresentações.

Palestrante convidado do ICM 2014, Scholze acumula prêmios importantes: European Mathematical Society (2016), Leibniz (2016), Fermat (2015), Ostrowski (2015), Cole (2015), Clay Research Fellowship (2014), SASTRA Ramanujan (2013) e Prix and Cours Peccot (2012).

Akshay Venkatesh

Akshay Venkatesh ganhou aos 12 anos a primeira medalha em uma Olimpíada Internacional de Matemática. Nascido em 1981 na Índia, criado na Austrália, encantou-se pela Teoria dos Números. Ingressou no Bacharelado em Matemática e Física na Universidade de Western Australia, ainda adolescente. Aos 20 anos, terminou o PhD na Universidade Princeton. Sete anos depois, tornou-se professor da Universidade Stanford e do Institute of Advanced Study (IAS), em Princeton.

Vekatesh ganhou a Medalha Fields por sua síntese da teoria analítica dos números, dinâmica homogênea, topologia, e teoria da representação, que resolveu problemas de longa data em áreas como a da equidistribuição de objetos aritméticos.

Já foi reconhecido com prêmios destacados, como Ostrowisk (2017), Infosys (2016), SASTRA Ramanujan (2008) e Salem (2007).

Comitê selecionado pela IMU

Idealizada pelo matemático canadense John Charles Fields para celebrar os grandes feitos na área, a medalha já foi conquistada por 56 pesquisadores das mais diversas nacionalidades. Um deles é o brasileiro Artur Avila, pesquisador extraordinário do IMPA, agraciado em 2014.

Os vencedores da Medalha Fields são selecionados por um comitê de especialistas nomeados pela União Matemática Internacional (IMU, na sigla em inglês), a organização supranacional patrocinadora dos ICMs. A cada quatro anos, são escolhidos até quatro pesquisadores de até 40 anos de idade. Além da medalha, há um prêmio em dinheiro no valor de 15 mil dólares canadenses.

Reprodução: IMPA