Presidente da Academia Brasileira de Ciências fala sobre a Fusão do Ministério da Ciência e Tecnologia ao Ministério das Comunições.

Presidente da Academia Brasileira de Ciências fala sobre a Fusão do Ministério da Ciência e Tecnologia ao Ministério das Comunições.

 Na tarde de quinta-feira (12), durante uma cerimônia no Palácio do Planalto, Gilberto Kassab (PSD) assumiu a liderança de um ministério recém-criado – virou ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações.

O nomão une duas pastas que, durante os anos Dilma, operaram em separado. Antes de reagir ao anúncio do novo ministro, a comunidade científica nacional protestou contra a reestruturação. Desde o final de 2014, a ciência brasileira amarga a perda de recursos. Entre 2014 e 2015, o orçamento destinado ao Ministério da Ciência e Tecnologia foi reduzido em 25%. No ano seguinte, a queda foi de 37%. A contenção tem impacto direto no financiamento das pesquisas – e na qualidade da ciência feita no Brasil. Pesquisadores brasileiros temem que a união da pasta com o Ministério das Comunicações aprofunde a crise do setor: “Foram unidas áreas muito diferentes”, diz Luiz Davidovich, presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro. “Houve uma sinalização de que ciência e tecnologia não são tão importantes”.

Para ver a reportagem completa clique aqui.
Para acessar o artigo publicado no site da Academia Brasileira de Ciência clique aqui.
Para acessar a matéria publicada no site Nature clique aqui.