Artur Avila é recebido em audiência pela Presidente da República

Artur Avila, ganhador da Medalha Fields, foi recebido em audiência pela presidente Dilma Rousseff ontem, dia 4 de setembro de 2014. Também participaram na audiência o Presidente da SBM (Marcelo Viana), o Diretor do IMPA (César Camacho), o presidente da Academia Brasileira de Ciências (Jacob Palis), os ministros da Educação (José Henrique Paim), da Ciência, Tecnologia e Inovação (Clélio Campolina) e da Fazenda (Guido Mantega) e os presidentes da CAPES (Jorge Guimarães) e do CNPq (Glaucius Oliva).
Ao final da audiência, os professores Avila, Camacho, Palis e Viana deram uma conferência de imprensa no Palácio do Planalto.
Leia mais em

Prêmio Sociedade Brasileira de Matemática

O Prêmio SBM tem como objetivo distinguir o melhor artigo original de pesquisa em Matemática publicado recentemente por jovem pesquisador residente no Brasil. O julgamento é baseado nos seguintes parâmetros: originalidade, relevância, profundidade e potencial de impacto no desenvolvimento da respectiva área.

Para conhecer o regulamento clique aqui.

ICM 2018

O Brasil e a SBM estiveram em grande evidência no ICM – Congresso Internacional de Matemática realizado em Seul, Coreia do Sul de 13 a 21 de agosto.

Isso se deveu tanto à Medalha Fields concedida ao Pesquisador Artur Avila do IMPA quanto ao fato de que o próximo ICM será realizado no Rio de Janeiro em 2018.

A SBM teve um estande no local do Congresso para divulgar o ICM 2018 e também organizar uma recepção para as autoridades presentes e os participantes brasileiros.

Fotos destes eventos podem ser conferidas aqui: https://www.sbm.org.br/icm2014

ÚLTIMOS DIAS PARA INSCRIÇÕES – PROFMAT/2015

As inscrições para o Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional – PROFMAT 2015 se encerram em 05/09/2014 às 17h:00 (horário oficial de Brasília).

São 1575 vagas em todos os Estados e no Distrito Federal, com Bolsa de Estudo da CAPES para professores de Matemática em exercício na Rede Pública de Ensino.

Confira o Edital e garanta sua inscrição!

https://ena.profmat-sbm.org.br/first.php

Mais de 20 mil alunos fazem a prova da segunda fase da Olimpíada Brasileira de Matemática neste sábado

Concorrem estudantes do ensino fundamental e médio de escolas públicas e particulares em todo o país.

Universitários participam da primeira fase da competição.

Os mais de 20 mil classificados fazem, neste sábado (6), a segunda fase da 36ª Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM). Coincidindo com a realização da prova para os níveis fundamental e médio, se inicia a participação dos estudantes de graduação no nível universitário.

Na primeira fase da competição, a OBM alcançou um número histórico de inscritos com 564.234 participantes, o que significou um aumento de 180% em relação à última edição.

Nesta segunda etapa, a prova terá uma duração de 4h30 em todos os níveis e será aplicada nas mesmas instituições onde os competidores estudam. Os horários de aplicação das provas devem ser confirmados diretamente com os professores responsáveis nas instituições de ensino.

Após a prova, a correção dos exames será realizada pelos professores das instituições participantes, segundo o gabarito oficial, a ser publicado na terça-feira (9), no site da olimpíada (www.obm.org.br).

Classificam-se para a terceira e última fase os estudantes que atingirem a pontuação mínima exigida para cada um dos níveis, segundo o critério a ser estabelecido pela Comissão Nacional de Olimpíadas de Matemática da SBM, com base nos resultados nacionais alcançados nas fases anteriores da olimpíada.

As provas finais ocorrerão nos dias 25 e 26 de outubro em locais a serem definidos. A divulgação dos estudantes premiados com medalhas de ouro, prata e bronze, além de menções honrosas, está prevista para dezembro.

Os medalhistas da competição serão convidados a participar da 18ª Semana Olímpica, em janeiro de 2015, evento que dará inicio ao processo de seleção para representar o país em competições internacionais de matemática. Além das medalhas e do direito a representar o país no exterior, os premiados recebem livros didáticos da Sociedade Brasileira de Matemática.

 Acesso à preparação

O aluno que deseje se preparar para a olimpíada, pode utilizar o material de estudo disponibilizado gratuitamente no site da competição (www.obm.org.br). No endereço o aluno encontra provas de anos anteriores, a revista Eureka!, além de aulas preparatórias on-line, que atendem a crescente demanda dos jovens por conteúdos digitalizados que estejam disponíveis para consulta.

 Sobre a olimpíada

A OBM é uma competição realizada desde 1979, cujos objetivos são estimular o estudo da matemática, contribuir para a melhoria do ensino no país, identificar e apoiar estudantes com talento para a pesquisa científica e selecionar e preparar as equipes brasileiras que participam das diversas competições internacionais de matemática, onde competem os melhores estudantes de cada país na área.

O projeto é uma iniciativa conjunta do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (Impa), da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério de Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Outras informações podem ser consultadas no site: www.obm.org.br

Para mais informações, por favor contactar:

Nelly Carvajal

Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM)

Tel. (21) 25295077

e-mail: obm@impa.br

Estudantes brasileiros conquistam mais medalhas para o país

Foram duas de ouro, uma de prata e uma de bronze.

O grupo também conquistou as primeiras posições na classificação individual.

21/08/2014

Enquanto o país ainda comemora a conquista da Medalha Fields pelo matemático brasileiro, Artur Avila Cordeiro de Melo, uma jovem equipe de estudantes acaba de conquistar duas medalhas de ouro, uma de prata e uma de bronze na 25ª Olimpíada de Matemática do Cone Sul, que encerrou hoje (21) na cidade de Atlántida, a 47 km de Montevidéu, Uruguai. A delegação também obteve as primeiras posições na classificação individual.

As medalhas de ouro foram trazidas ao país pelos estudantes Pedro Henrique Sacramento de Oliveira, de 15 anos, de Vinhedo (SP) e Gabriel Toneatti Vercelli, de 16 anos, de Osasco (SP), enquanto João César Campos Vargas, de 16 anos, de Passa Tempo (MG) e Andrey Jhen Shan Chen, de 14 anos, de Campinas (SP), receberam as medalhas de prata e bronze respectivamente.

Pedro e Gabriel, medalhistas de ouro, conseguiram também a primeira e segunda colocação na classificação individual com 54 e 51 pontos respectivamente, seguidos por um estudante peruano com 50 pontos.

Os jovens foram liderados pelos professores Régis Prado Barbosa, de São Paulo (SP) e Luzinalva Miranda de Amorim, de Salvador (BA), membros da Comissão Nacional de Olimpíadas de Matemática da SBM.

A Olimpíada do Cone Sul é uma competição que acontece anualmente, desde 1988. A edição deste ano contou com a participação de 32 estudantes de oito países. Durante o evento os estudantes tiveram a oportunidade de expandir os próprios conhecimentos por meio da troca de experiências com os estudantes dos outros países, num ambiente alegre e descontraído.

As provas

 A competição é individual e teve duas provas teóricas realizadas nos dias 18 e 19 de agosto, os participantes tiveram quatro horas, em cada dia, para resolver três problemas de matemática, propostos pelos países participantes e selecionados por um júri internacional, composto pelos professores líderes, um por cada país participante. Os problemas da prova envolveram disciplinas como álgebra, teoria dos números, geometria e combinatória. A soma dos pontos obtidos na solução de cada problema determinou os vencedores do certame.

 Como participar da próxima Cone Sul

 Os estudantes interessados em formar parte da equipe brasileira devem primeiro participar da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), competição que ocorre anualmente nas escolas públicas e privadas em todo o país. Após ter sido premiado no certame, os estudantes passam por um intenso processo de seleção, que considera a colocação conquistada na disputa nacional, além dos resultados obtidos em provas seletivas e de listas de exercícios que são resolvidas ao longo de seis meses. Os quatro estudantes mais bem colocados, e que satisfazem as exigências do regulamento da olimpíada, conquistam as vagas.

 A OBM é uma iniciativa conjunta do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). A competição nacional alcança hoje mais de 560 mil estudantes e tem desempenhado um importante papel relacionado à melhoria do ensino, descoberta de talentos para a pesquisa em matemática e seleção de estudantes que participam em competições internacionais.

 A OBM conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério de Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

 

Para outras informações visite: www.obm.org.br

Para mais informações, favor contactar:

 Secretaria da Olimpíada Brasileira de Matemática

Tel. (21) 25295077

e-mail: obm@impa.br

Brasileiro ganha Medalha Fields

Artur Avila, pesquisador do IMPA e do CNRS, tornou-se aos 35 anos o primeiro brasileiro a ganhar a Medalha Fields, a distinção mais prestigiada da área. Artur ganhou o prêmio pelas profundas contribuições à teoria da área de sistemas dinâmicos.  Esta é também a primeira vez que um pesquisador latinoamericano ganha o prêmio. A notícia teve grande impacto na comunidade matemática brasileira e no público geral. Veja as reportagens
  Esta edição de premiação também concedeu o prêmio pela primeira vez a uma mulher, a iraniana Maryam Mirzakhani, da Universidade de Stanford (EUA). Os outros dois ganhadores são Manjul Bhargava, da Universidade de Princeton (EUA) e Martin Hairer, da Universidade de Warwick (Inglaterra). Veja mais informações http://www.mathunion.org/general/prizes/2014 ehttp://www.mathunion.org/general/prizes/fields/details/

Brasil volta da Bulgária com 24 medalhas no mundial de matemática universitária

Evento é a maior olimpíada para estudantes universitários do mundo.

A 21ª Competição Internacional de Matemática para Estudantes Universitários (IMC, na sigla em inglês), terminou nesta segunda-feira (4), e o Brasil conquistou 24 medalhas, sendo 2 de ouro (First Prize), 12 de prata (Second Prize) e 10 de bronze (Third Prize).

O resultado foi importante pelo alto nível da competição que contou com a participação de 324 estudantes de 73 universidades de todo o mundo.

Dos 28 competidores brasileiros 27 foram premiados. Os grandes destaques da delegação nacional foram Henrique Gasparini Fiúza do Nascimento, do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) e André Macieira Braga, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), ganhadores de medalha de ouro com 69 pontos cada, ficando na 36ª posição na classificação individual. No ranking por equipes a UFMG conquistou a melhor colocação brasileira ficando na 16ª posição.

O evento, organizado pelo University College London em parceria com a American University in Bulgaria, é a maior competição para estudantes universitários e recebe os mais destacados graduandos em matemática e ciências afins de todo o mundo.

A delegação brasileira contou com representantes do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Fundação Getúlio Vargas (FGV) e Instituto Militar de Engenharia (IME), acompanhados pelos professores Fábio Dias Moreira, do Rio de Janeiro (RJ) e Frederico Vale Girão, de Fortaleza (CE).

As provas foram realizadas na quinta-feira (31) e sexta-feira (1). Cada prova teve cinco questões, valendo dez pontos cada, que foram resolvidas individualmente, num tempo máximo de cinco horas. As avaliações foram respondidas em idioma inglês e incluíram problemas de álgebra, análise real e complexa, geometria e combinatória. Uma vez realizadas as provas, o trabalho dos estudantes foi avaliado pelos líderes e apresentado ao tribunal de coordenação, formado por especialistas da área, que deu as pontuações finais de cada problema usando critérios previamente estabelecidos pelo júri internacional. Os cortes para a distribuição das medalhas foram definidos pela organização da IMC, sem interferência dos líderes.

“Apesar da alta complexidade que a prova da IMC apresentou este ano, as medalhas brasileiras eram esperadas, pois os estudantes que formam as equipes são experientes e treinaram bastante antes da viagem, o que contribuiu para que conquistassem pontos importantes no desenvolvimento das soluções, facilitando o nosso trabalho na hora da correção das provas”, disse Fábio Dias Moreira, líder da delegação brasileira.

Como parte das atividades culturais do evento, a organização ofereceu duas excursões para os competidores: Visita ao Monastério de Rila e visita à cidade histórica de Melnik.

Nível de excelência

As equipes olímpicas de matemática universitária já deram muitas conquistas para o Brasil desde 2003, ano em que o país participou pela primeira vez, conquistando desde então um total de 137 medalhas, sendo uma de ouro especial (Grand First Prize), 19 de ouro (First Prize), 54 de prata (Second Prize) e 63 de bronze (Third Prize).

Como participar da IMC

No Brasil, a Comissão Nacional de Olimpíadas de Matemática indica os estudantes universitários que tenham sido premiados na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) com medalhas de ouro, prata ou bronze. Cabe a cada instituição de ensino a decisão de patrocinar estes estudantes ou inclusive selecionar outros estudantes para participar da competição como seus representantes, neste caso, as universidades devem enviar professores para ajudar no trabalho de avaliação das provas.

Os competidores devem cursar do primeiro ao quarto ano do ensino superior e não ter título universitário anterior, podendo ser estudantes de qualquer carreira acadêmica, ainda que a maioria seja de cursos como matemática, computação, engenharia e física.

A Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) é um projeto conjunto do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) que desempenha um importante papel em relação à melhoria do ensino e descoberta de talentos para a pesquisa em Matemática nas modalidades de ensino fundamental, médio e universitário nas escolas e universidades públicas e privadas de todo o Brasil.

A OBM conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério da Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Para outras informações visite: www.obm.org.br

Informações para a Imprensa:

Nelly Carvajal

Secretaria da Olimpíada Brasileira de Matemática

Tel: 21-25295077

Brasil, Moçambique e Portugal criam o Espaço Matemático em Língua Portuguesa

Foi criado em 06 de junho de 2014 o Espaço Matemático em Língua Portuguesa (EMeLP), filiado à International Commission on Mathematical Instruction (ICMI). A criação do EMeLP é uma iniciativa dos representantes dos países de língua oficial portuguesa que são membros da ICMI: Victor Giraldo (Universidade Federal do Rio de Janeiro, Brasil), Marcos Cherinda (Universidade Pedagógica, Maputo, Moçambique) e José Francisco Rodrigues (Universidade de Lisboa, Portugal).

No Brasil, a implantação do EMeLP está sendo conduzida por uma comissão conjunta da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), da Sociedade Brasileira de Educação Matemática (SBEM) e da Sociedade Brasileira de Matemática Aplicada e Computacional (SBMAC).

Os objetivos e metas do EMeLP são estabelecidas em seu Documento de Criação:

O EMeLP dedicar-se-á a várias linhas de ação, nomeadamente: ensino de matemática, matemática interdisciplinar, divulgação da matemática, manifestações culturais matemáticas. Deste modo, o EMeLP será dedicado à Comunicação Matemática em seu sentido mais abrangente, que inclui: a matemática e a educação matemática como formas para a comunicação ampla do patrimônio cultural e científico da humanidade, buscando torná-lo igualmente acessível a todos os povos e todos os indivíduos; à comunicação entre os diversos campos da matemática, entre matemática e outras áreas do conhecimento, entre a matemática e suas aplicações e articulações com os mais variados setores da vida, da sociedade, da tecnologia e da cultura humana; à educação matemática como um processo decomunicação de via dupla – por meio do qual o professor se engaje na busca permanente por melhores formas de comunicar e de disseminar o conhecimento e de ouvir e valorizar o conhecimento construído pelo aprendiz.

Dentre as principais iniciativas propostas para o EMeLP, encontram-se:

  • Realização periódica da Conferência Internacional do Espaço Matemático em Língua Portuguesa (CIEMeLP), configurada como uma Conferência Regional da ICMI. A CIEMeLP visa ao intercâmbio de pesquisa e projetos acadêmicos nas linhas de ação do EMeLP, entre os países e comunidades de língua portuguesa, e será sediada alternadamente nos países associados. A primeira edição da CIEMeLP é prevista para 28 a 31 de outubro de 2015 em Coimbra, Portugal.

  • Implantação de uma Biblioteca Digital, reunindo textos e materiais em língua portuguesa, em diversas mídias, sobre temas relacionados com as linhas de ação do EMeLP. A biblioteca digital visa oferecer visibilidade e acesso amplo a esses materiais, contribuindo também para o intercâmbio de ideias e iniciativas entre grupos situados em diferentes comunidades de língua portuguesa. Desta forma, a biblioteca digital poderá catalisar esforços de iniciativas já em andamento, bem como estimular novas iniciativas voltadas para a produção de textos e outros materiais.

  • Implantação de uma Exposição Itinerante, com modelos e materiais manipuláveis, que possam ser replicados localmente a custos acessíveis, para exibição nos países associados.

  • Fomento a projetos de colaboração entre os países associados, visando ao intercâmbio de experiências e ações para a melhoria das condições de ensino e aprendizagem da matemática em todos os níveis (desde os anos escolares iniciais até a universidade, inclusive) e da formação de professores de matemática.

  • Incentivo à mobilidade de estudantes e pesquisadores entre os países associados, e à supervisão conjunta de trabalhos de dissertações e teses (cotutela).

Visite também a página do EMeLP no Facebook: https://www.facebook.com/pages/Espa%C3%A7o-Matem%C3%A1tico-em-L%C3%ADngua-Portuguesa/1505326219686241. O website está em construção e estará no ar em breve.

Universitários representam o Brasil em torneio internacional de matemática

Competição é a maior olimpíada para estudantes universitários do mundo.

Uma delegação formada por estudantes de sete universidades brasileiras representa o país na 21ª Competição Internacional de Matemática para Estudantes Universitários (IMC, na sigla em inglês), que acontece na cidade de Blagoevgrad, na Bulgária entre os dias 29 de julho e 4 de agosto.

O evento, organizado pelo University College London em parceria com a American University in Bulgaria, é a maior competição para estudantes universitários e recebe os mais destacados graduandos em matemática e ciências afins de todo o mundo.

Este ano integram a delegação brasileira representantes do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Universidade Federal do Ceará (UFC) e Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), acompanhados pelos professores Fábio Dias Moreira, do Rio de Janeiro (RJ) e Frederico Vale Girão, de Fortaleza (CE).

As provas serão feitas em dois dias consecutivos (31/07) e (01/08). Cada prova contém cinco questões, valendo dez pontos cada, que deverão ser resolvidas individualmente, num tempo máximo de cinco horas. As avaliações devem ser respondidas em idioma inglês e incluem problemas de álgebra, análise real e complexa, geometria e combinatória.

“A prova da IMC não é nada fácil, as questões propostas muitas vezes exigem ideias além do que é ensinado na faculdade”, conta o professor Fábio Moreira, líder da delegação brasileira. Ele explica que durante os primeiros minutos da prova, os estudantes podem tirar dúvidas sobre os enunciados das questões com os líderes, que estarão nas salas de prova no início da competição. “Vários problemas exigem técnicas comuns em problemas de pesquisa em matemática”, completa.

Uma vez realizadas as provas, o trabalho dos estudantes é avaliado pelos líderes e apresentado ao tribunal de coordenação, formado por especialistas da área, que dará as pontuações finais de cada problema usando critérios previamente estabelecidos pelo júri internacional. Os cortes para a distribuição das medalhas são definidos posteriormente pela organização da IMC, sem interferência dos líderes.

Como parte das atividades culturais do evento, a organização oferece anualmente alguns passeios para os competidores, entre os quais se destaca a visita ao Monastério de Rila.

Histórico vitorioso

As equipes olímpicas de matemática universitária já deram muitas conquistas para o Brasil desde 2003, ano em que o país participou pela primeira vez, conquistando desde então um total de 113 medalhas, sendo uma de ouro especial (Grand First Prize), 17 de ouro (First Prize), 42 de prata (Second Prize) e 53 de bronze (Third Prize).

Como participar da IMC

No Brasil, a Comissão Nacional de Olimpíadas de Matemática indica os estudantes universitários que tenham sido premiados na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) com medalhas de ouro, prata ou bronze. Cabe a cada instituição de ensino a decisão de patrocinar estes estudantes ou inclusive selecionar outros estudantes para participar da competição como seus representantes, neste caso, as universidades devem enviar professores para ajudar no trabalho de avaliação das provas.

Os competidores devem cursar do primeiro ao quarto ano do ensino superior e não ter título universitário anterior, podendo ser estudantes de qualquer carreira acadêmica, ainda que a maioria seja de cursos como matemática, computação, engenharia e física.

A Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) é um projeto conjunto do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) que desempenha um importante papel em relação à melhoria do ensino e descoberta de talentos para a pesquisa em Matemática nas modalidades de ensino fundamental, médio e universitário nas escolas e universidades públicas e privadas de todo o Brasil.

A OBM conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério da Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Para outras informações visite: www.obm.org.br

Informações:

Secretaria da Olimpíada Brasileira de Matemática

Tel: 21-25295077

e-mail: 

Brasil é ouro e prata na Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

O Brasil conquistou uma medalha de ouro e três de prata na 4ª Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, que terminou hoje (18/07), na cidade de Luanda, Angola.

André Yuji Hisatsuga, de São Paulo (SP), garantiu a medalha de ouro para o país. A prata ficou com os estudantes João Guilherme Madeira Araújo, de Fortaleza (CE), Daniel Quintão de Moraes, do Rio de Janeiro (RJ) e Guilherme Goulart Kowalczuk, de Porto Alegre (RS).

A equipe nacional foi liderada pelos professores Edmilson Luis Rodrigues Motta e Guilherme Philippe Figueiredo, ambos de São Paulo (SP).

Este ano participaram da olimpíada as delegações de Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe, representados por equipes de quatro estudantes de até 18 anos, totalizando 24 competidores.

Criada em 2011, a olimpíada é um concurso que faz parte de uma estratégia da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que tem por objetivos fortalecer e estimular o estudo da matemática, contribuir para o desenvolvimento científico da comunidade, detectar jovens talentos e incentivar a troca de experiências entre os participantes. Este ano o evento aconteceu sob o lema “Com o conhecimento da matemática compreendemos melhor o mundo globalizado”.

A olimpíada– Durante as provas, realizadas individualmente nos dias 16 e 17, os estudantes tiveram quatro horas e meia, em cada dia, para resolver três problemas de matemática, propostos pela banca e selecionados pelo júri internacional, formado pelos líderes dos países participantes. Os problemas abrangeram disciplinas como álgebra, teoria dos números, geometria e combinatória.

A participação do Brasil na Olimpíada de Matemática da CPLP é organizada pela Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), iniciativa que desempenha um importante papel em relação à melhoria do ensino e descoberta de talentos para a pesquisa em matemática nas modalidades de ensino fundamental, médio e universitário nas instituições públicas e privadas de todo o Brasil.

A OBM é uma iniciativa conjunta do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA), da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério da Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Para outras informações, acesse: www.obm.org.br

17º Simpósio de Matemática para a Graduação (SiM 2014)

Os departamentos de Matemática e de Matemática Aplicada e Estatística do Instituto de Ciências Matemáticas e Computação (ICMC) da Universidade de São Paulo (USP) em São Carlos promovem, de 26 a 28 de agosto, o 17º Simpósio de Matemática para a Graduação (SiM).

O encontro é voltado a alunos da graduação e tem como objetivo promover a discussão de temas como pós-graduação, pesquisa e mercado de trabalho.

“Esse contato com pesquisadores do ICMC e de outras instituições é uma forma de despertar nos alunos, desde o início da graduação, o interesse pela pesquisa”, diz Everaldo Bonotto, da comissão organizadora.

A programação inclui palestras nas áreas de matemática pura, educação matemática, matemática aplicada e estatística.

A inscrição com desconto pode ser feita até 15 de agosto. Mais informações: http://sim.icmc.usp.br/

Brasil participa da Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Estudantes estão em Angola para mais uma competição.

Depois do bom resultado alcançado pelos representantes brasileiros na Olimpíada Internacional de Matemática, realizada na África do Sul, uma nova delegação de estudantes representa o país na 4ª edição da Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. A competição, que acontece em Luanda, Angola, vai até sexta-feira (18), reunindo estudantes de seis países de língua portuguesa: Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Portugal e São Tomé e Príncipe.

Cada país participante está representado por uma equipe de quatro jovens de até 18 anos e dois professores líderes. O time brasileiro está formado por João Guilherme Madeira Araújo (CE), André Yuji Hisatsuga (SP), Daniel Quintão de Moraes (RJ) e Guilherme Goulart Kowalczuk (RS).

Os competidores brasileiros foram selecionados após enfrentar um rigoroso processo de seleção, que começou com a participação na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), realizada em 2013, que contou com a participação de mais de 200 mil estudantes e seus professores. A equipe é liderada pelos professores Edmilson Luis Rodrigues Motta e Guilherme Philippe Figueiredo, ambos de São Paulo.

Criada em 2011, a olimpíada é um concurso que faz parte de uma estratégia da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que tem por objetivos fortalecer e estimular o estudo da matemática, contribuir para o desenvolvimento científico da comunidade, detectar jovens talentos e incentivar a troca de experiências entre os participantes. Este ano o evento acontece sob o lema “com o conhecimento da matemática compreendemos melhor o mundo globalizado”.

As provas

Os brasileiros irão competir em provas individuais realizadas em dois dias consecutivos, resolvendo problemas que abrangem disciplinas como álgebra, teoria dos números, geometria e combinatória. Os estudantes deverão desenvolver soluções criativas na tentativa de resolvê-los para assim conquistar medalhas de ouro, prata ou bronze, as quais serão distribuídas segundo percentuais mínimos de acerto.

Na última edição, realizada em 2013 em Maputo, Moçambique, o Brasil conquistou quatro medalhas, sendo duas de ouro, uma prata e uma de bronze, ficando por terceiro ano consecutivo com a primeira posição geral na competição.

A participação do Brasil na Olimpíada de Matemática da CPLP é organizada pela Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), iniciativa que desempenha um importante papel em relação à melhoria do ensino e descoberta de talentos para a pesquisa em matemática nas modalidades de ensino fundamental, médio e universitário nas instituições públicas e privadas de todo o Brasil.

A OBM é uma iniciativa conjunta do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA), da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério de Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Para mais informações, favor contactar:

Nelly Carvajal

Secretaria da Olimpíada Brasileira de Matemática

Tel. (21) 25295077

e-mail: 

Brasil volta da África do Sul com cinco medalhas

Estudantes disputaram a 55ª Olimpíada Internacional de Matemática.

O fim de semana foi de alegria para a jovem equipe brasileira de matemática. Na disputa pelas medalhas da 55ª Olimpíada Internacional de Matemática (IMO, da sigla em inglês), os estudantes garantiram três medalhas de prata e duas de bronze. A competição, que encerrou ontem (13), foi realizada na Cidade do Cabo, África do Sul.

Murilo Corato Zanarella, 16 anos, Rodrigo Sanches Ângelo, 18 anos, de São Paulo e Daniel Lima Braga, 16 anos, do Ceará, tiveram o melhor desempenho da equipe brasileira garantindo as medalhas de prata, enquanto Victor Oliveira Reis, 17 anos, de Pernambuco e Alexandre Perozim de Faveri, 17 anos, de São Paulo, voltaram ao país com as medalhas de bronze. Alessandro de Oliveira Pacanowski, 18 anos, do Rio de Janeiro, recebeu uma menção honrosa.

Com este resultado o Brasil deixou a África do Sul ocupando a 34ª posição no ranking geral por países com 122 pontos. A equipe da China teve a melhor colocação com 201 pontos, seguida pelos Estados Unidos com 193 e Taiwan com 192.

As provas ocorreram na manhã dos dias 8 e 9 de julho, na University of Cape Town. Nessas datas, os estudantes tiveram 4h30, em cada dia, para resolver três problemas de matemática, inéditos, com valor de sete pontos cada, que somados dão a pontuação final para a obtenção de medalhas. Os problemas da prova, que foram resolvidos individualmente, foram selecionados a partir de diferentes áreas da matemática do ensino médio como álgebra, combinatória, geometria e teoria dos números. As provas da IMO são sempre definidas dessa forma para que todas essas áreas estejam representadas.

Os professores Onofre Campos da Silva Farias e Samuel Barbosa Feitosa, membros da Comissão Nacional de Olimpíadas de Matemática, acompanharam a equipe e tiveram a missão de avaliar e defender as soluções dos brasileiros ante o tribunal de coordenação, formado este ano por 48 especialistas, trabalho que foi fundamental na obtenção das medalhas brasileiras.

Uma vez terminadas as provas, a organização do evento proporcionou aos participantes shows de música africana, aulas de dança, palestras com celebridades do mundo da matemática, demonstrações de jogos africanos e duas excursões guiadas, o que ajudou os estudantes a relaxar e transformou o evento numa experiência internacional inesquecível para os jovens competidores.

A IMO

A Olimpíada Internacional de Matemática (IMO) é a mais importante, maior e mais prestigiosa de todas as olimpíadas internacionais científicas do mundo. Realizada desde 1959 durante o mês de julho, cada ano em um país, a competição envolve a participação de jovens estudantes com até 19 anos e que não tenham ingressado na universidade.

Este ano o evento foi disputado pela primeira vez no continente africano registrando um recorde de participantes. Ao todo foram 560 estudantes de 101 países. A IMO de 2015 será realizada em Chiang Mai na Tailândia.

Histórico do Brasil na IMO

As equipes brasileiras de matemática olímpica já deram muitas conquistas para o Brasil desde 1979, ano em que o país participou pela primeira vez, conquistando até hoje um total de 110 medalhas, sendo 9 de ouro, 33 de prata e 68 de bronze, o que o torna o país latino-americano com o melhor retrospecto na história da competição.

A escolha dos estudantes que representam o Brasil na IMO 2014 foi feita a partir dos vencedores da 35ª Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), projeto conjunto do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), que tem por objetivos estimular o estudo da matemática, contribuir para a melhoria do ensino no país, identificar e apoiar estudantes com talento para a pesquisa científica e selecionar e preparar as equipes brasileiras que participam das diversas competições internacionais de matemática.

A OBM conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério da Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Para outras informações visite: www.obm.org.br

Equipe brasileira de matemática embarca para a África do Sul

Estudantes disputam a 55ª Olimpíada Internacional de Matemática.

Enquanto o mundo observa o decorrer da Copa do Mundo de futebol no Brasil, uma equipe de estudantes brasileiros embarca neste sábado (5) com destino à Cidade do Cabo, na África do Sul, para representar o país numa outra competição mundial: a 55ª Olimpíada Internacional de Matemática (IMO, da sigla em inglês), que ocorre até o dia 13 deste mês.

O time brasileiro é formado pelos estudantes: Rodrigo Sanches Ângelo, 18 anos; Murilo Corato Zanarella, 16 anos e Alexandre Perozim de Faveri, 17 anos, de São Paulo; Alessandro de Oliveira Pacanowski, 18 anos, do Rio de Janeiro; Victor Oliveira Reis, 17 anos, de Pernambuco; e Daniel Lima Braga, 16 anos, do Ceará. Os estudantes são liderados pelos professores Onofre Campos da Silva Farias e Samuel Barbosa Feitosa, membros da Comissão Nacional de Olimpíadas de Matemática da SBM.

Antes da viagem a equipe nacional ficou concentrada em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo, onde realizou um treinamento intensivo de preparação para a competição.

IMO 2014

A Olimpíada Internacional de Matemática (IMO) é a mais importante e tradicional olimpíada científica do mundo. Realizada desde 1959 durante o mês de julho, cada ano em um país, a competição envolve a participação de jovens estudantes com até 19 anos. Este ano o evento, que será disputado pela primeira vez no continente africano, registrou um recorde de participantes com 109 países inscritos, incluindo três países observadores. Ao todo, serão 582 estudantes, 205 líderes e vice-líderes de delegação e 132 observadores.

As provas

Segundo o cronograma da competição, as provas estão marcadas para acontecer nos dias 8 e 9 de julho. Nessas datas, os estudantes terão 4h30, em cada dia, para resolver três problemas de matemática, com valor de sete pontos cada, que abrangem as disciplinas de álgebra, teoria dos números, combinatória e geometria. As soluções dos estudantes serão avaliadas posteriormente segundo critérios estabelecidos por um júri internacional.

Como parte da programação cultural do evento, os participantes terão duas noites de música africana e aulas de dança para os competidores, palestras com celebridades do mundo da matemática, tarde de jogos africanos e duas excursões guiadas.

Os resultados da competição serão divulgados durante a cerimônia de encerramento, marcada para acontecer no final da tarde do sábado, 12 de julho. A premiação para os ganhadores serão medalhas de ouro, prata, bronze e menções honrosas, além da experiência de ter convivido com jovens de várias partes do mundo com interesses semelhantes. As atividades da IMO 2014 se encerram no domingo, 13 de julho, quando as delegações voltam para casa.

A escolha dos estudantes que representam o Brasil na IMO 2014 foi feita a partir dos vencedores da 35ª Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), projeto conjunto do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), que tem por objetivos estimular o estudo da matemática, contribuir para a melhoria do ensino no país, identificar e apoiar estudantes com talento para a pesquisa científica e selecionar e preparar as equipes brasileiras que participam das diversas competições internacionais de matemática.

A OBM conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério da Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Para outras informações visite: www.obm.org.br

Informações:

Nelly Carvajal

Secretaria da Olimpíada Brasileira de Matemática

Tel: (21) 2529-5077

e-mail: 

Simpósio Mulher e Ciência

Simpósio Mulher e Ciência no Estado do Rio de Janeiro: Desafios e Conquistas.

Data: 13 e 14 de agosto de 2014

LOCAL:
Prédio-Sede do INCA
Auditório Moacyr Santos Silva (8º andar)
Praça Cruz Vermelha, 23 – Centro – RJ – Rio de Janeiro – Brasil

 

INSCRIÇÕES GRATUITAS
Até 31 de Julho de 2014, pelo site do Instituto Nacional de
Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA)
www.inca.gov.br

INFORMAÇÕES GERAIS
Secretaria Acadêmica/CEDC
E-mails: eventos.cedc@inca.gov.br/
teresafernandez@inca.gov.br/gancsfz@vm.uff.br

Clique aqui para acessar o cartaz do evento.

Nota de Pesar pelo falecimento de Jorge Lewowicz

Caros colegas,

A Sociedade Brasileira de Matemática expressa seu pesar pelo falecimento de Jorge Lewowicz, destacado matemático uruguaio com importantes contribuições matemáticas, especialmente no desenvolvimento da teoria dos sistemas dinâmicos expansivos, e à descoberta e formação de jovens pesquisadores latino-americanos, tanto em seu país natal quanto na Venezuela, onde esteve exilado em um período da sua vida, por motivos políticos.

A trajetória profissional e pessoal de Jorge Lewowicz constitui exemplo e importante legado à comunidade matemática latino-americana.

Vanderlei Horita e Marcelo Viana

Brasil se prepara para disputar a Olimpíada Internacional de Matemática

A pouco menos de um mês do início da 55ª Olimpíada Internacional de Matemática, os seis estudantes que representarão o Brasil, iniciaram na segunda-feira (9) a reta final de preparação para a competição. O evento ocorrerá na Cidade do Cabo, na África do Sul, entre os dias 3 e 13 de julho próximo reunindo 582 talentosos estudantes de mais de 100 países.

O time brasileiro é formado pelos estudantes Rodrigo Sanches Ângelo (SP), Murilo Corato Zanarella (SP), Alessandro de Oliveira Pacanowski (RJ), Victor Oliveira Reis (PE), Daniel Lima Braga (CE) e Alexandre Perozim de Faveri (SP). A equipe será acompanhada pelos professores Onofre Campos da Silva Farias (CE) e Samuel Barbosa Feitosa (BA).

Para conseguir uma vaga na equipe brasileira, os jovens precisaram superar mais de 200 mil concorrentes que participaram da 35ª Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) em 2013. A equipe que representa o Brasil na IMO foi escolhida com base nos resultados conquistados na disputa nacional, além de considerar os resultados dos estudantes no processo de seleção, que incluiu a realização de provas específicas e listas de exercícios.

Treinando forte

Desde meados do mês de maio, quando a equipe foi definida pela Comissão Nacional de Olimpíadas de Matemática da SBM, os seis estudantes iniciaram o processo de preparação que incluiu a participação da equipe no Programa de Preparação Especial para Competições Internacionais (Peci), realizado na cidade de Brasília. Antes da viagem para África do Sul, o time brasileiro, enfrenta ainda um segundo treinamento, voltado especificamente para a competição, realizado entre os dias 9 e 27 de junho em São José do Rio Preto (SP).

Durante o período os estudantes terão simulados diários das provas e aulas avançadas da disciplina com matemáticos com alto nível de qualificação e experiência em competições do gênero. A programação é bastante rigorosa, porém também inclui algumas atividades de lazer, após os horários de estudo.

O coordenador-geral da OBM, professor Carlos Gustavo Moreira, destaca que a equipe tem treinado fortemente para adquirir cada vez mais maturidade e chegar preparada na competição.

“A equipe que representará o país na IMO teve excelentes resultados no processo de seleção e conta com integrantes muito experientes, que já têm um histórico olímpico com diversas conquistas nacionais e internacionais. Acreditamos que o período de treinamento é essencial para fortalecer ainda mais o time brasileiro e torna-lo mais confiante e preparado para a competição, que é extremamente difícil”, explicou.

Além da equipe da IMO, foram convocadas ao treinamento as equipes brasileiras que participarão da Olimpíada de Matemática do Cone Sul e da Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa.

Sobre a IMO

A Olimpíada Internacional de Matemática (IMO) é a mais importante e tradicional olimpíada científica do mundo. Realizada desde 1959 durante o mês de julho, sempre num país diferente, a competição envolve a participação de estudantes entre 14 e 19 anos de idade, que resolvem provas de matemática em dois dias consecutivos.

Neste ano um total de 109 países já confirmou a participação no evento, quebrando o recorde de 104 países participantes na olimpíada de 2009 realizada na Alemanha.

Brasil participa da competição desde 1979 e acumula desde então um total de 105 medalhas, sendo 9 de ouro, 30 de prata e 66 de bronze, o que o torna o país latino-americano com maior número de medalhas na competição. Em 2017, a IMO ocorrerá pela primeira vez no Brasil.

A OBM é um projeto conjunto do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e tem por objetivos estimular o estudo da matemática, contribuir para a melhoria do ensino no país, identificar e apoiar estudantes com talento para a pesquisa científica e selecionar e preparar as equipes brasileiras que participam das diversas competições internacionais de matemática.

A competição conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério da Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Para outras informações sobre a competição, visite: www.obm.org.br

Para mais informações, favor contactar:

Secretaria da Olimpíada Brasileira de Matemática

Tel: 21-25295077 e-mail: obm@impa.br