OBMEP 2018 bate recorde de escolas participantes

OBMEP 2018 bate recorde de escolas participantes

A 14ª edição da OBMEP (Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas) acaba de atingir um recorde histórico. Recém-encerradas, as inscrições na mais importante competição científica brasileira contabilizaram estudantes matriculados em 54.496 escolas. A quantidade supera as 53.231 instituições de ensino que inscreveram seus alunos em 2017.

A OBMEP deste ano terá 18.237.996 estudantes de escolas públicas e privadas de 99,44% dos municípios do Brasil. A quantidade de inscritos mantém o patamar do ano passado. A OBMEP é realizada pelo Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM).

“Estamos muito satisfeitos com as inscrições deste ano. Foram 54.496 escolas, recorde absoluto, número que deve ser comparado às 53.231 escolas inscritas em 2017 e às 47.474 em 2016, quando as escolas privadas ainda não participavam da olimpíada. Estamos presentes em quase todos os municípios do país, 5.539 dos 5.570. Com mais de 18 milhões de alunos participando da olimpíada este ano, temos certeza de que será mais um grande evento da Matemática no Brasil”, afirma o diretor-adjunto do IMPA, Claudio Landim.

As inscrições encerraram-se no dia 5 deste mês. As provas serão aplicadas em 5 de junho (1ª fase) e 15 de setembro (2ª fase). A divulgação dos vencedores está marcada para 21 de novembro. Premiados com medalha de ouro, prata ou bronze garantem o ingresso em programas de iniciação científica.

Criada em 2005, a OBMEP é promovida com recursos do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e do Ministério da Educação (MEC).

A competição contribui para estimular o estudo da Matemática no Brasil, identificar jovens talentosos e promover a inclusão social pela difusão do conhecimento. Estudos independentes já revelaram o impacto efetivo da olimpíada nos resultados de Matemática. Escolas que participaram ativamente da competição, aponta trabalho do ex-presidente do INEP Chico Soares, apresentam melhora no desempenho dos alunos de 26 pontos na Prova Brasil, o equivalente a 1,5 ano de escolaridade extra.

 

Reprodução – IMPA