Manifestação a favor de Azat Miftakhov

Manifestação a favor de Azat Miftakhov

Em nome da comunidade matemática brasileira, manifestamos nossa preocupação com a situação de Azat Miftakhov, jovem estudante de pós-graduação em Matemática na Moscow State University, Rússia.

Azat é um ativista político e, em fevereiro de 2019, foi preso sob a acusação de participar de atividades terroristas e produção de explosivos. Essas acusações foram retiradas depois de poucos dias, mas ele continua em prisão preventiva, agora sob a acusação de ter participado de um ato coletivo de vandalismo, que resultou na quebra de uma janela de um prédio pertencente ao partido Rússia Unida.

A imprensa, e muitos ativistas de direitos humanos, denunciaram graves violações por parte da polícia local em relação a esse caso, incluindo atos de tortura e assédio de seus parentes. Parte da mídia foi responsável por uma campanha de difamação de caráter homofóbico contra Azat. Entre as medidas da prisão preventiva, foi negado o direito de acesso ao seu trabalho científico.

Uma acusação leve de vandalismo não pode justificar mais de um ano de prisão preventiva e esses maus-tratos. Vale mencionar que Azat Miftakhov é considerado um prisioneiro político pela Memorial, a mais antiga organização de direitos humanos na Rússia.

A comunidade matemática brasileira defende os direitos fundamentais de todo o ser humano, inclusive cada membro da academia, independentemente de suas convicções políticas, orientação sexual ou origem étnica. Assim, pedimos às autoridades russas que Azat Miftakhov tenha um julgamento justo e transparente, e que receba um tratamento respeitoso dos direitos humanos.

Paolo Piccione
Presidente da Sociedade Brasileira de Matemática

Marcelo Viana
Diretor Geral Instituto de Matemática Pura e Aplicada