Professor Hilário Alencar recebe em Brasília Comenda do Mérito Científico

Na segunda-feira, dia 21 deste mês a Universidade Federal de Alagoas estará no foco das atenções em Brasília. É que o professor Hilário Alencar, do Instituto de Matemática (IM), participará, como premiado, da solenidade das Insígnias da Ordem Nacional do Mérito Científico, promovida pelo Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT). A comenda, outorgada pela presidência da República, é concedida a personalidades nacionais e estrangeiras que se distinguiram por relevantes contribuições a citada área.

A solenidade será às 10 horas, no Museu Nacional de Brasília – Setor Cultural Eixo Monumental, será conduzida pela presidente da República Dilma Roussef, com com a presença do ministro Marco Antônio Raupp , chanceler da Ordem Nacional do Mérito Científico e marca o início das atividades da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2013.

Membro titular da Academia Brasileira de Ciências e também membro titular da Academia de Ciências do Mundo em Desenvolvimento (TWAS) o professor Hilário Alencar, pelos méritos científicos, já foi distinguido com a Ordem Nacional do Mérito Científico na classe Comendador. No âmbito local, recebeu a Medalha do Mérito Universitário: Ufal 45 anos e a Comenda Mérito da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal).

“É uma honra para qualquer cidadão ser distinguido com a Ordem Nacional do Mérito Científico, principalmente quando esta honraria é concedida pelas relevantes contribuições à Ciência”, frisou Hilário Alencar.

6o Encontro da RPM

Palestras, minicursos e oficinas voltados para os professores da educação básica e alunos e professores de cursos de Licenciatura em Matemática.

29  e 30 de novembro de 2013

UFMS – Universidade Federal do Mato Grosso do Sul

Campo Grande, MS

Inscrições de 10/10 até 18/11 na página da RPM: www.rpm.org.br

Brasil vence a Olimpíada Ibero-Americana de Matemática no Panamá

País levou uma medalha de ouro e três de prata e ficou em primeiro lugar na classificação geral.

O Brasil conquistou o primeiro lugar na 28ª Olimpíada Ibero-Americana de Matemática (OIM). Quatro estudantes brasileiros ganharam medalhas de ouro e prata na competição, que encerrou nesta sexta-feira (27), na capital do Panamá. O evento contou com a participação de 78 jovens com idades que variam entre 13 e 18 anos de 20 países de América Latina, Portugal e Espanha.

Rodrigo Sanches Ângelo (SP) foi o grande destaque da equipe brasileira conquistando a medalha de ouro com a pontuação máxima da prova, 42 pontos. Os estudantes Franco Matheus de Alencar Severo (RJ), Victor Oliveira Reis (PE) e Rafael Kazuhiro Miyazaki (SP) obtiveram a prata com 41, 40 e 35 pontos respectivamente.

Com este resultado a equipe brasileira garantiu, por segundo ano consecutivo, a primeira posição na classificação geral por países, com ­­­­­158 pontos, seguido pela equipe de Portugal que obteve 154 pontos e México com 153 pontos. O time brasileiro foi liderado pelos professores Eduardo Wagner, do Rio de Janeiro (RJ) e Pablo Rodrigo Ganassim, de São Paulo (SP).

As provas foram realizadas de forma individual nos dias 24 e 25 de setembro contendo problemas que abrangem as disciplinas de álgebra, teoria dos números, geometria e combinatória. Foram três problemas a cada dia, com valor de sete pontos cada, aplicados em quatro horas e meia.

As questões da prova foram selecionadas pelo Júri Internacional, formado pelos chefes das delegações. Os professores tiveram como base o banco de problemas proposto pelos países participantes. A resolução das questões apresentadas exige dos competidores criatividade, engenho e habilidade em matemática.

Com o propósito de promover a integração e o intercâmbio de experiências entre os participantes, a olimpíada incluiu também a realização de uma prova por equipes, atividade de caráter lúdico, onde os competidores se misturam formando novas equipes que competem entre si num ambiente de descontração e amizade. Além desta atividade, os estudantes tiveram a oportunidade de conhecer aspectos históricos e culturais do país organizador.

Sobre a competição

A Olimpíada Ibero-Americana de Matemática é a competição mais importante da área para os países da região. Trata-se de uma atividade de popularização da ciência, onde os estudantes participantes têm a oportunidade de demonstrar suas aptidões e potencial na disciplina. Além do Brasil, participaram do evento este ano as delegações da Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, Porto Rico, Uruguai e Venezuela. Cuba e República Dominicana não enviaram competidores.

O Brasil é o país com maior número de medalhas conquistadas na competição até hoje. Desde 1985, ano em que o país iniciou a participação no evento, seus representantes conquistaram um total de 101 medalhas, sendo 51 de ouro, 39 de prata e 11 de bronze.

Próxima edição

A 29ª edição da OIM terá como sede Honduras. Como pré-requisito para participar do evento os competidores precisam ter no máximo 18 anos de idade e não podem ter participado da competição em duas edições anteriores.

Os estudantes interessados em formar parte da equipe verde e amarela devem primeiro participar da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), competição que ocorre anualmente nas escolas públicas e privadas em todo o país. Após ter sido premiado no certame, os estudantes passam por um intenso processo de seleção, que considera a colocação conquistada na disputa nacional, além dos resultados obtidos em cinco provas seletivas e de listas de exercícios que são resolvidas ao longo de seis meses. Os quatro estudantes mais bem colocados, e que satisfazem as exigências do regulamento da olimpíada, conquistam as vagas.

A Olimpíada Brasileira de Matemática, que neste ano reuniu mais de 200 mil participantes, é um projeto conjunto do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (Impa) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), que visa estimular o estudo da matemática, contribuir para a melhoria do ensino no país, identificar e apoiar estudantes com talento para a pesquisa científica e selecionar e preparar as equipes brasileiras que participam das diversas competições internacionais de matemática.

A iniciativa conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério de Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Para outras informações, acesse: www.obm.org.br

Estudantes brasileiros disputam a Olimpíada Ibero-americana de Matemática

Competição será realizada no Panamá, reunindo competidores de 22 países.

Estudantes brasileiros enfrentam um novo desafio entre os dias 22 e 28 de setembro, quando será disputada, na capital do Panamá, a Olimpíada Ibero-americana de Matemática.  A competição, que já está na sua 28ª edição, terá ainda a participação de 22 países.

Rodrigo Sanches Ângelo (SP), Victor Reis (PE), Rafael Kazuhiro Miyazaki (SP) e Franco Matheus de Alencar Severo (RJ) formam o time brasileiro. O grupo, considerado veterano em competições de matemática, conquistou este ano três medalhas de prata e uma de bronze na Olimpíada Internacional de Matemática (IMO, da sigla em inglês), realizada na Colômbia, assegurando para o país a 28ª posição entre 97 nações participantes.

Os jovens serão acompanhados pelos professores Eduardo Wagner (RJ) e Pablo Ganassim (SP), que terão a função de corrigir e defender o trabalho dos estudantes ante o tribunal internacional de coordenação.

Para fazer parte da equipe, os candidatos devem ter como pré-requisito um bom desempenho na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) para, em seguida, participarem do processo de seleção que inclui a resolução de listas de exercícios, além de uma bateria de provas seletivas. Os quatro alunos mais bem colocados, e que satisfazem as exigências do regulamento da olimpíada, conquistam as vagas.

A competição

Cada competidor fará duas provas de matemática marcadas para acontecer nos dias (24) e (25). As provas, que têm uma duração de quatro horas e meia, em cada dia, exigem dos concorrentes habilidades nas disciplinas da álgebra, teoria dos números, combinatória e geometria. Durante o evento os participantes terão também a oportunidade de realizar uma excursão, onde conhecerão aspectos históricos e culturais do país organizador.

A finalidade do evento, que este ano é realizado no marco das comemorações panamenhas do quinto centenário do descobrimento do Oceano Pacífico, é garantir a realização de uma competição amistosa, de engenho e criatividade, que reunirá os países ibero-americanos num encontro onde a linguagem comum é a matemática.

Retrospectiva

O Brasil é o país com maior número de medalhas conquistadas na competição até hoje. Desde 1985, ano em que o país iniciou a participação no evento, seus representantes conquistaram um total de 97 medalhas, sendo 50 de ouro, 36 de prata e 11 de bronze.

Além das medalhas recebidas, o Brasil conquistou em três oportunidades a Taça Porto Rico, troféu outorgado desde 1990 pela delegação de Porto Rico ao país de maior progresso na competição, e que tem como objetivo estimular o desenvolvimento das equipes olímpicas.

A participação brasileira na Olimpíada Ibero-americana de Matemática é organizada pela Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), iniciativa que desempenha um importante papel em relação à melhoria do ensino e descoberta de talentos para a pesquisa em matemática nas modalidades de ensino fundamental, médio e universitário nas instituições públicas e privadas de todo o país.

A OBM é uma iniciativa conjunta do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (Impa), da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério de Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Para outras informações, acesse: www.obm.org.br

PREMIO JABUTI – A COLEÇÃO TÓPICOS DE MATEMÁTICA ELEMENTAR ESTÁ ENTRE OS FINALISTAS

Prêmio Jabuti 2013 revela seus finalistas

A Câmara Brasileira do Livro realizou na última terça-feira (17/9) a abertura e validação das notas da 1ª fase do Prêmio Jabuti 2013 em sessão pública na unidade da Av. Ipiranga, 1267, 10º andar. Após passar pela auditoria, o resultado dos 10 finalistas de cada uma das 27 categorias foi divulgado no site oficial do Prêmio www.premiojabuti.org.br.

A coleção Tópicos de Matemática Elementar volumes 1,2,3,4,5 – Antonio Caminha Muniz Neto – Sociedade Brasileira de Matemática está entre os finalistas  na categoria Ciências Exatas, Tecnologia e Informática.

http://www.premiojabuti.org.br/resultado-fase1-2013

Resultado das Eleições 2013 da SBM

Para a Diretoria foi eleita a Chapa 1, formada por Marcelo Viana (Presidente, IMPA), Vanderlei Horita (Vice-presidente, UNESP), Ali Tahzibi (Primeiro Secretário, USP-SC), Luiz Manoel Figueiredo (Segundo Secretário, UFF), Marcela Souza (Terceiro Secretário, UFTM) e Carmen Mathias (Tesoureiro, UFSM).

Para o Conselho Diretor (4 vagas), foram eleitos: Carlos Gustavo Moreira (IMPA), Cydara Ripoll (UFRGS), Eduardo Colli (USP) e Ronaldo Garcia (UFG).

Para o Conselho Fiscal (3 vagas) foram eleitos Carlos Frederico Palmeira (PUC-Rio), Marco Antonio Teixeira (UNICAMP) e Sebastião Firmo (UFF).

Mais de 17 mil classificados farão a segunda fase da Olimpíada Brasileira de Matemática neste sábado (21)

Concorrem estudantes do ensino fundamental e médio de escolas públicas e particulares em todo o país.

Universitários participam da primeira fase da competição.

Os mais de 17 mil classificados de escolas públicas e privadas farão, neste sábado (21), a segunda fase da 35ª Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM). Coincidindo com a realização da prova para os níveis fundamental e médio, se inicia a participação dos estudantes de graduação no nível universitário. Os participantes não devem ter concluído a graduação e podem ser alunos de qualquer curso e qualquer período.

A prova terá uma duração de 4h30 em todos os níveis e será aplicada nas mesmas instituições onde os competidores estudam. Os horários de aplicação das provas devem ser confirmados diretamente com os professores responsáveis nas instituições de ensino.

A correção dos exames será realizada pelos professores das instituições participantes, segundo o gabarito oficial, a ser publicado na terça-feira (24/09), no site da olimpíada (www.obm.org.br).

Classificam-se para a terceira e última fase os estudantes que atingirem a pontuação mínima exigida para cada um dos níveis, segundo o critério a ser estabelecido pela Comissão Nacional de Olimpíadas de Matemática, com base nos resultados nacionais alcançados nas fases anteriores da olimpíada.

As provas finais ocorrerão nos dias 19 e 20 de outubro em locais a serem definidos. A divulgação dos estudantes premiados com medalhas de ouro, prata e bronze, além de menções honrosas, está prevista para dezembro.

Os medalhistas da competição serão convidados a participar da 17ª Semana Olímpica, em janeiro de 2014, evento que dará inicio ao processo de seleção para representar o país em competições internacionais de matemática.

Como estudar para as provas

Para se preparar para esta etapa e a seguinte, os estudantes podem utilizar o material de estudo disponibilizado gratuitamente no site da OBM. No endereço, os alunos encontram um banco de problemas de olimpíadas, contendo as provas antigas com as soluções comentadas, a revista Eureka!, que é uma publicação voltada para a preparação para as olimpíadas de matemática nacionais e internacionais, além dos artigos utilizados durante a Semana Olímpica.

Por meio do site o estudante também pode acessar as aulas em vídeo do programa Polos Olímpicos de Treinamento Intensivo (Poti), disponíveis no YouTube, e que, segundo o coordenador nacional da OBM, Carlos Gustavo Moreira, acabam sendo um importante material complementar de preparação para a competição.

O material disponível no site da OBM constitui a base para uma boa preparação para a competição em todas as fases. As aulas do Poti, além de cobrir os conteúdos básicos da matemática olímpica para os níveis fundamental e médio, atendem a crescente demanda dos jovens por conteúdos digitalizados que estejam disponíveis para consulta a qualquer momento e desde qualquer lugar.

Sobre a olimpíada

A OBM é uma competição realizada desde 1979, cujos objetivos são estimular o estudo da matemática, contribuir para a melhoria do ensino no país, identificar e apoiar estudantes com talento para a pesquisa científica e selecionar e preparar as equipes brasileiras que participam das diversas competições internacionais de matemática, onde competem os melhores estudantes de cada país na área.

O projeto é uma iniciativa conjunta do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA), da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério de Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Para outras informações relacionadas com a competição, consulte: www.obm.org.br

III Escola e Workshop de Teoria de Lie

A III Escola e Workshop de Teoria de Lie, será realizada na Universidade Federal de Uberlândia (UFU), no período de 10 a 14 de março de 2014 (https://sites.google.com/site/liecongress/home).

Um dos objetivos III Escola e Workshop de Teoria de Lie é divulgar os últimos avanços na área conseguidos por matemáticos experientes bem como por jovens matemáticos. Estudantes são encorajados a participar. Teremos participação de matemáticos do Brasil, de outros países da América Latina, EUA e Europa, trabalhando em várias áreas de pesquisa relacionadas com a Teoria de Lie.

Prêmio Gutierrez é entregue a jovens pesquisadores da área de matemática

Melhores teses de doutorado em matemática foram premiadas em cerimônia realizada no ICMC

A cerimônia de entrega do Prêmio Gutierrez 2013 aconteceu nesta segunda-feira, 19 de agosto, no Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC), da USP São Carlos. Apoiada pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), a iniciativa premia a cada ano a melhor tese de doutorado em matemática defendida no Brasil.

O vencedor da edição deste ano é Pablo Guarino, por sua tese de doutorado Rigidity conjecture for C3 critical circle maps. O resultado principal da tese de Guarino resolve completamente um problema formulado pelo norte-americano Oscar Lanford nos anos 80 e que despertou o interesse de muitos matemáticos e físicos. O trabalho foi orientado pelo professor Welington de Melo, no Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), que representou Guarino na solenidade.

Foram também concedidas menções honrosas para as teses de Damião Gonçalvez, Éder Ritis Costa e Régis Varão Filho. “É um prêmio que distingue os pesquisadores que estão iniciando sua carreira”, disse o presidente da SBM, Marcelo Viana. Ele parabenizou os homenageados, dizendo que se tratava de um reconhecimento “absoluto e relativo”. E explicou: “Absoluto porque é uma grande distinção receber o Prêmio Gutierrez e relativo porque, a cada ano, o prêmio se torna mais conhecido e disputado”.

“Trata-se de um estímulo aos jovens matemáticos para que desenvolvam pesquisas de qualidade”, disse a professora Maria Aparecida Ruas que, durante o evento, representou a coordenadora da área de matemática, probabilidade e estatística da CAPES, professora Nancy Lopes Garcia.

Já o diretor do ICMC, José Carlos Maldonado, destacou a relevância da parceria com a SBM, que possibilita realizar a premiação e expor os melhores trabalhos no contexto do Instituto. “Excluindo-se as capitais, o ICMC é o que mais forma profissionais na área de matemática e computação em todo o Brasil”, afirmou.

“Esse prêmio é também uma oportunidade para entrarmos em contato com os colegas de todo o Brasil, já que os ganhadores e orientadores vêm nos visitar durante o evento”, acrescentou o coordenador do programa de pós-graduação em matemática do ICMC, Ali Tahzibi.

“Que os trabalhos de qualidade aqui apresentados sirvam como exemplo para vocês, alunos do ICMC”, concluiu a presidente da comissão de pós-graduação do Instituto, Agma Traina.

Quem são os homenageados

O vencedor do Prêmio Gutierrez nasceu em Montevidéu, no Uruguai, onde cursou Licenciatura em Matemática na Universidad de La Republica em 2007. Entre 2008 e 2012, Guarino fez doutorado em Matemática no IMPA. Atualmente, faz pós-doutorado na USP.

Já Damião Júnio Gonçalvez foi reconhecido por sua tese de doutorado Equações diferenciais elípticas não-variacionais singulares/degeneradas: Uma abordagem geométrica, orientada por Eduardo Teixeira, da Universidade Federal do Ceará (UFC).

A outra menção honrosa foi para Éder Ritis Aragão Costa, por sua tese de doutorado Sistemas gradientes, decomposição de Morse e funções de Lyapunov sob perturbações, sob a orientação de Alexandre Nolasco de Carvalho, do ICMC.

A última menção ficou com José Régis Varão Filho, por sua tese de doutoradoAbsolute continuity for diffeomorphisms with non-compact center leaves, com orientação de Marcelo Viana, do IMPA.

O professor Carlos Gutierrez

O prêmio homenageia o renomado pesquisador peruano Carlos Teobaldo Gutierrez Vidalon (1944-2008). Gutierrez veio ao Brasil em 1969, quando conseguiu uma bolsa de estudos para estudar no IMPA, onde titulou-se mestre e doutor em Matemática. Nessa instituição, na qual trabalhou até 1999, começou como professor assistente e chegou à posição de titular. Durante o período, visitou vários importantes centros em matemática como a University of California, em Berkeley, e o California Institute of Technology.

Após deixar o IMPA, Gutierrez atuou como professor titular no ICMC, contribuindo com a fundação e organização de um novo grupo de pesquisa. Em sua carreira, publicou mais de setenta artigos, orientou sete alunos de doutorado e vinte de mestrado.

Para mais informações, acesse www.icmc.usp.br/~premiogutierrez

Brasil soma novas conquistas em torneios internacionais de matemática na Bulgária e Moçambique

Estudantes universitários conquistaram 14 medalhas na Bulgária.

Em Moçambique, alunos obtiveram a primeira posição em evento com países de língua portuguesa.

Brasil conquistou 14 medalhas na 20ª Competição de Matemática para Estudantes Universitários (IMC, na sigla em inglês), maior competição de matemática para estudantes universitários, que terminou neste domingo, (11) em Blagoevgrad, na Bulgária.

As premiações para o país foram umamedalha de ouro (first prize), onze de prata (second prize) e duas de bronze (third prize). O mais bem colocado entre os representantes brasileiros foi Henrique Fiúza do Nascimento, do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), quem alcançou o ouro com 49 pontos.

A edição de 2013 reuniu 321 estudantes que representaram 72 instituições de ensino superior de todo o mundo. A delegação brasileira foi composta por estudantes do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Instituto Militar de Engenharia (IME), Unicamp, Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), liderados pelos professores Samuel Barbosa Feitosa, de Salvador (BA) e Fábio Dias Moreira, do Rio de Janeiro (RJ).

Outros três brasileiros conquistaram premiações em representação de instituições estrangeiras.

Os resultados completos da delegação brasileira podem ser consultados na página (www.obm.org.br)

Primeiro lugar em Moçambique

Na sexta-feira (9), o Brasil somou mais quatro medalhas ao histórico de participação na Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, ficando por terceiro ano consecutivo com a primeira posição geral na competição.

A olimpíada, que foi realizada na cidade de Maputo, Moçambique, contou com a presença de 16 jovens do Brasil, Portugal, Moçambique, e São Tomé e Príncipe. Cada país enviou uma delegação de quatro estudantes, menores de 18 anos, e dois professores.

O grande destaque brasileiro foi Gabriel Toneatti Vercelli (SP), quem conquistou a medalha de ouro. As medalhas de prata foram trazidas ao país por João César Campos Vargas (MG), Lucca Morais de Arruda Siaudzionis (CE) e Lucas Pereira Galvão de Barros (SP). Os estudantes foram acompanhados pelos professores Carlos Nogueira Bahiano (BA) e Marcelo Xavier de Mendonça (RJ). O segundo colocado foi Portugal.

Durante a disputa os competidores submeteram-se a duas provas individuais, realizadas nos dias 7 e 8 na capital moçambicana. Cada exame apresentou três problemas de matemática selecionados por um júri internacional, que exigem a resolução de exercícios de álgebra, teoria dos números, geometria e combinatória.

Como representar o Brasil em competições internacionais

Os estudantes que representam o Brasil em competições internacionais de matemática são selecionados pela Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), competição realizada anualmente nas escolas públicas e privadas em todo o país e que reúne mais de 200 mil estudantes e seus professores.

Para participar da OBM, o cadastro deve ser feito apenas pelas instituições no site (www.obm.org.br), entre os meses de março e abril de cada ano. Depois, os alunos interessados devem fazer a inscrição interna com o professor responsável.

A OBM é uma iniciativa conjunta do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA), da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério de Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Posse da Diretoria do biênio 2013-2015

Em 30 de julho, durante a Assembleia Geral da Sociedade Brasileira de Matemática, foi empossada a Diretoria do biênio 2013-2015, com Marcelo Viana (IMPA) – Presidente, Vanderlei Horita (UNESP-Rio Preto) – Vice-Presidente, Ali Tahzibi (USP – S. Carlos) – Primeiro Secretário,  Luiz Manoel Figueiredo (UFF) – Segundo Secretário, Marcela de Souza (UFTM) – Terceira Secretária e Carmen Mathias (UFSM) – Tesoureira.

Em 30 de julho, durante a Assembleia Geral da Sociedade Brasileira de Matemática, foi empossada a Diretoria do biênio 2013-2015, com Marcelo Viana (IMPA) – Presidente, Vanderlei Horita (UNESP-Rio Preto) – Vice-Presidente, Ali Tahzibi (USP – S. Carlos) – Primeiro Secretário,  Luiz Manoel Figueiredo (UFF) – Segundo Secretário, Marcela de Souza (UFTM) – Terceira Secretária e Carmen Mathias (UFSM) – Tesoureira.

Para o Conselho Diretor, foram eleitos Eduardo Colli (USP-SP), Ronaldo Garcia (UFG), Carlos Gustavo Moreira (IMPA) e Cydara Cavendon Ripoli (UFRGS) e para o Conselho Fiscal Marco Antonio Teixeira (Unicamp), Sebastião Firmo Saponga (UFF) e Carlos Frederico Palmeira (PUC, RJ).

A chapa eleita promoveu um debate sobre os projetos da SBM no dia 23 de julho que foi transmitida pela internet. O vídeo da transmissão pode ser visto em [1].

Nesta Assembleia Geral, a SBM homenageou o professor Jorge Guimarães em agradecimento a sua enérgica atuação em prol da Ciência, da Educação e, particularmente, da Matemática.

[1]  http://strato.impa.br/videos/tmp/debate-SBM-22072013.flv

Cerimônia de Entrega do Prêmio SBM

No dia 30 de julho ocorreu a Cerimônia de Entrega do Prêmio SBM, no auditório Ricardo Mañé, no IMPA.

A cerimônia contou com a presença de Ingrid Daubechies (presidente da IMU-União Matemática Internacional), da Duke University, Étienne Ghys, da École Normale Supérieure de Lyon, e Gang Tian, da Princeton University, membros do Júri Internacional do Prêmio SBM.

No dia 30 de julho ocorreu a Cerimônia de Entrega do Prêmio SBM, no auditório Ricardo Mañé, no IMPA.

A cerimônia contou com a presença de Ingrid Daubechies (presidente da IMU-União Matemática Internacional), da Duke University, Étienne Ghys, da École Normale Supérieure de Lyon, e Gang Tian, da Princeton University, membros do Júri Internacional do Prêmio SBM.

O vencedor do prêmio foi Artur Avila (IMPA), com o artigo “On the regularization of conservative maps”, publicado na Acta Mathematica em 2010 (número 205). Uma versão pode ser encontrada em [2].

http://arxiv.org/abs/0810.1533

Brasil na Na 54ª Olimpíada Internacional de Matemática

Na 54ª Olimpíada Internacional de Matemática, realizada em Santa Marta, na Colômbia, o Brasil conquistou três Medalhas de Prata, uma de Bronze e duas Menções Honrosas, o que lhe valeu a vigésima oitava colocação.

A China foi a vencedora desta Olimpíada, seguida pela Coreia do Sul e Estados Unidos. Estudantes de 103 Países disputaram esta edição da OIM entre 18 e 28 de julho.

Na 54ª Olimpíada Internacional de Matemática, realizada em Santa Marta, na Colômbia, o Brasil conquistou três Medalhas de Prata, uma de Bronze e duas Menções Honrosas, o que lhe valeu a vigésima oitava colocação.

A China foi a vencedora desta Olimpíada, seguida pela Coreia do Sul e Estados Unidos. Estudantes de 103 Países disputaram esta edição da OIM entre 18 e 28 de julho.

Pelo Brasil os jovens Rodrigo Ângelo, Rafael Miyazaki e Victor Reis ganharam Medalha de Prata, Franco de Alencar Severo ganhou Medalha de Bronze e Victor Bitarães e Alessandro Pacanowski ganharam Menção Honrosa.

[3] http://www.imo-official.org/team_r.aspx?code=BRA&year=2013

Chamada propostas de minicursos – III Colóquio de Matemática da Região Sul

O III Colóquio de Matemática da Região Sul ( www.mtm.ufsc.br/coloquiosul) será realizado na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – Florianópolis no período de 28 de abril a 03 de maio de 2014.

A Comissão Científica está constituída por:

Artur Lopes (UFRGS)

Carmen Mathias (UFSM / SBM)

Celso Doria (UFSC)

Clóvis Gonzaga (UFSC)

Daniel Gonçalves (UFSC) (coordenador)

Elizabeth Karas (UFPR)

Miguel Ferrero (UFRGS)

Serão oferecidos, entre outras atividades, cursos dirigidos a estudantes de graduação ou começo de pós-graduação.

Interessados em oferecer cursos no 3º Colóquio de Matemática da Região Sul estão convidados a enviar suas propostas por email, em formato pdf, a coloquioregiaosul@contato.ufsc.br até 15 de novembro de 2013. As propostas, com até três páginas, devem indicar claramente os pré-requisitos, os objetivos, o conteúdo, a distribuição de capítulos e seções, e a bibliografia.

Cada curso será composto por 4 aulas de uma hora distribuídas no período de 28 de abril a 3 de maio de 2014 e deverá corresponder ao nível introdutório dos cursos do Colóquio Brasileiro de Matemática. Os proponentes poderão ser de qualquer região do país.

Poderão ser consideradas propostas com alguma interseção com cursos já oferecidos no Colóquio Brasileiro de Matemática, Bienal da SBM, Colóquios Regionais ou Jornadas de Iniciação Científica. A análise e o julgamento das propostas serão feitos pelo Comitê Científico e comunicados oportunamente aos proponentes.

O resultado do julgamento das propostas será divulgado até 29 de

novembro de 2013 por email aos autores, que terão até o dia 28 de

fevereiro de 2014 para entrega das notas do minicurso para publicação.

Universitários representam o Brasil em competição internacional de matemática

Evento ocorre até 12 de agosto, na Bulgária.

Um grupo estudantes brasileiros representa o país na 20ª Competição Internacional de Matemática para Estudantes Universitários (IMC, na sigla em inglês), que acontece na cidade de Blagoevgrad, na Bulgária entre os dias 6 e 12 deste mês.

Este ano são esperados mais de 300 estudantes que representam as melhores instituições de ensino superior de todo o mundo. A delegação brasileira é composta por alunos do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), Instituto Militar de Engenharia (IME), Unicamp, Universidade de São Paulo (USP), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), liderados pelos professores Samuel Barbosa Feitosa, de Salvador (BA) e Fábio Dias Moreira, do Rio de Janeiro (RJ).

Organizada desde 1983 pelo University College of London, a IMC, que recebe os mais destacados graduandos em matemática e ciências afins de todo o mundo, é extremamente exigente. Os participantes devem resolver duas provas aplicadas em dois dias consecutivos, com um tempo máximo de cinco horas cada dia. As provas, programadas para os dias 8 e 9 de agosto, devem ser resolvidas em idioma inglês e incluem questões dos campos da álgebra, análise real e complexa, além de combinatória, cujas pontuações somadas determinam os vencedores.

O Brasil participa da competição desde 2003, conquistando desde então um total de 99 medalhas, sendo uma de ouro especial (Grand First Prize), 16 de ouro (First Prize), 31 de prata (Second Prize) e 51 de bronze (Third Prize). Na última edição, estudantes da PUC-Rio ficaram em 9º lugar no mundo.

A participação brasileira na competição é organizada pela Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), programa que desempenha um importante papel em relação à melhoria do ensino e descoberta de talentos para a pesquisa em Matemática nas modalidades de ensino fundamental, médio e universitário nas escolas e universidades públicas e privadas de todo o Brasil.

A OBM é um projeto conjunto do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA), da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério de Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

 

Para outras informações visite: www.obm.org.br

Para mais informações:

Nelly Carvajal

Secretaria da Olimpíada Brasileira de Matemática

Tel: 21-25295077

obm@impa.br

Brasil participa da Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa

Estudantes brasileiros estão a caminho de Moçambique para mais uma competição.
Disputa reúne os oito países de língua portuguesa.

Depois do bom resultado alcançado pelos representantes brasileiros na Olimpíada Internacional de Matemática, realizada na Colômbia, uma nova delegação de estudantes se dirige a Moçambique para participar da 3ª edição da Olimpíada de Matemática da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. A competição, que acontece na capital, Maputo, ocorrerá entre os dias 5 e 10 de agosto, reunindo estudantes dos oito países de língua portuguesa: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste.

Cada país participante está representado por uma equipe de quatro jovens de até 18 anos e dois professores líderes. O time brasileiro está formado por João César Campos Vargas (MG), Lucca Morais de Arruda Siaudzionis (CE), Gabriel Toneatti Vercelli (SP) e Lucas Pereira Galvão de Barros (SP).

Os competidores brasileiros foram selecionados após enfrentar um rigoroso processo de seleção, que começou com a participação na Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), realizada em 2012, que contou com a participação de mais de 200 mil estudantes e seus professores. A equipe é liderada pelos professores Carlos Nogueira Bahiano (BA) e Marcelo Xavier de Mendonça (RJ).

Criada em 2011, a olimpíada é um concurso que faz parte de uma estratégia da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que tem por objetivos fortalecer e estimular o estudo da matemática, contribuir para o desenvolvimento científico da comunidade, detectar jovens talentos e incentivar a troca de experiências entre os participantes.

As provas

Durante o evento, os brasileiros irão competir em provas individuais realizadas em dois dias consecutivos, resolvendo problemas que abrangem disciplinas como álgebra, teoria dos números, geometria e combinatória. Os estudantes deverão desenvolver soluções criativas na tentativa de resolvê-los para assim conquistar medalhas de ouro, prata ou bronze, as quais serão distribuídas segundo percentuais mínimos de acerto.

Na última edição, realizada em 2012 na cidade de Salvador (BA), o Brasil conquistou quatro medalhas, sendo duas de ouro e duas de prata, terminando em primeiro lugar no ranking de países participantes.

A participação do Brasil na Olimpíada de Matemática da CPLP é organizada pela Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), iniciativa que desempenha um importante papel em relação à melhoria do ensino e descoberta de talentos para a pesquisa em matemática nas modalidades de ensino fundamental, médio e universitário nas instituições públicas e privadas de todo o Brasil.

A OBM é uma iniciativa conjunta do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA), da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério de Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

 

Para mais informações, favor contactar:

Nelly Carvajal

Secretaria da Olimpíada Brasileira de Matemática

Tel. (21) 25295077

e-mail: obm@impa.br

Brasil conquista quatro medalhas na Olimpíada Internacional de Matemática

O Brasil conquistou quatro medalhas na 54ª Olimpíada Internacional de Matemática (IMO, na sigla em inglês), em Santa Marta, na Colômbia. O evento, que reuniu 528 estudantes de nível médio de 97 países, terminou ontem, (28).

Rodrigo Sanches Ângelo (SP), Rafael Miyazaki (SP) e Victor Reis (PE), foram os mais bem colocados do Brasil, conquistando as medalhas de prata, enquanto Franco Severo (RJ), obteve o bronze. Os estudantes, Alessandro Pacanowski (RJ) e Victor Bitarães (MG) receberam menções honrosas no certame. Com este resultado o Brasil ficou em 28° lugar entre os países participantes. A equipe foi liderada pelos professores, Edmilson Motta (SP) e Onofre Campos (CE).

Antes de viajar à Colômbia, a delegação brasileira participou de um período de treinamento intensivo, realizado nas cidades de São Paulo e Brasília, que incluiu a realização diária de simulados das provas, sessões de problemas e aulas de preparação para a competição.

A competição

A Olimpíada Internacional de Matemática, que ocorre desde 1959, é a mais prestigiada e concorrida competição do gênero no mundo. Os objetivos do evento são descobrir, estimular e desafiar jovens talentos para a matemática, fomentar relações internacionais de amizade e criar uma oportunidade para o intercâmbio e informação sobre o estudo da disciplina entre os países participantes.

Nesta edição, participaram estudantes dos ensinos fundamental e médio com idades entre os 15 e 18 anos. Durante a competição, os jovens enfrentaram duas provas realizadas nos dias 23 e 24 de julho. Em cada dia, os concorrentes tiveram quatro horas e meia para resolver três problemas de matemática, inéditos, propostos pelos países participantes e selecionados por um júri internacional, composto por 95 professores líderes. Os problemas da prova incluíram as disciplinas da álgebra, teoria dos números, combinatória e geometria. Cada problema vale sete pontos, que somados dão a pontuação final para a obtenção das medalhas. Este ano não houve nenhum estudante que atingisse os 42 pontos, pontuação individual máxima possível na disputa.

Durante os dias 25 e 26 o tribunal de coordenação, integrado por 51 especialistas que foram indicados pelo país organizador, realizou as correções dos problemas resolvidos pelos competidores. Esta correção de exames implica que os líderes e vice-líderes de cada delegação avaliem e defendam as soluções dos seus estudantes ante o tribunal, trabalho que foi fundamental na obtenção dos resultados da equipe brasileira.

Brasil participa da competição desde 1979 e acumula desde então um total de 105 medalhas, sendo 9 de ouro, 30 de prata e 66 de bronze, o que o torna o país latino-americano com maior número de medalhas na competição. No próximo ano o evento acontecerá na cidade de Cape Town,  Africa do Sul.

Como participar da IMO

Os estudantes que representam o Brasil na IMO são selecionados pela Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), competição realizada anualmente nas escolas públicas e privadas em todo o país. Para integrar a equipe, os jovens passam por um intenso processo de seleção, que considera a colocação conquistada na disputa nacional, além dos resultados obtidos em cinco provas seletivas e de listas de exercícios que são resolvidas ao longo de seis meses.

Para participar da OBM, o cadastro deve ser feito pela escola diretamente no site da competição (www.obm.org.br), entre os meses de março e abril de cada ano. Depois, os alunos interessados devem fazer a inscrição com o professor responsável em cada escola.

A Olimpíada Brasileira de Matemática é um projeto conjunto do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA) e da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), que visa estimular o estudo da matemática, contribuir para a melhoria do ensino no país, identificar e apoiar estudantes com talento para a pesquisa científica e selecionar e preparar as equipes brasileiras que participam das diversas competições internacionais de matemática. A iniciativa conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério de Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).
Para mais informações, favor contactar,

Nelly Carvajal
Secretaria da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM)
Tel: (21) 2529-5077
e-mail: obm@impa.br

Delegação brasileira embarca rumo à Olimpíada Internacional de Matemática

Competição ocorre até o dia 28 de julho, em Santa Marta, na Colômbia.

Seis estudantes brasileiros embarcam neste domingo (21) com destino a Santa Marta, na Colômbia, para representar o país na 54ª Olimpíada Internacional de Matemática (IMO). O evento, que ocorre até o dia 28 deste mês, reúne 531 jovens talentos para a matemática de 103 países.

A delegação este ano é formada pelos estudantes Rafael Miyazaki (SP), Alessandro Pacanowski (RJ), Franco Matheus Alencar Severo (RJ), Rodrigo Sanches Ângelo (SP), Victor Bitarães (MG) e Victor Reis (PE). Os estudantes estão acompanhados pelos professores, Edmilson Motta (SP) e Onofre Campos (CE).

A seleção

O grupo de estudantes que representam o Brasil na competição foi selecionado a partir da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM). Para integrar a equipe, os jovens passaram por um intenso processo de seleção, que considera a colocação conquistada na disputa nacional, além dos resultados obtidos em cinco provas seletivas e de listas de exercícios que são resolvidas ao longo de seis meses.

Dedicação total

Desde finais do mês de maio, quando a equipe foi definida pela comissão da OBM, os seis estudantes iniciaram o processo de preparação que incluiu um período de treinamento intensivo realizado nas cidades de São Paulo e Brasília. Durante o treinamento os jovens realizaram diariamente simulados das provas da IMO, sessões de problemas e aulas de preparação para a competição. A programação foi bastante rigorosa, mas também incluiu algumas atividades de lazer, após os horários de estudo.

A competição

A Olimpíada Internacional de Matemática é a mais prestigiada e concorrida competição do gênero, desde 1959. Nesta edição participam estudantes dos ensinos fundamental e médio com idades que variam entre os 14 e 19 anos de idade. Durante a competição, os estudantes fazem provas em dois dias consecutivos. Em cada dia, os concorrentes resolvem provas com três problemas, com valor de sete pontos cada, aplicados em 4h30 de prova, abrangendo as disciplinas de álgebra, teoria dos números, combinatória e geometria.

De acordo com o coordenador-geral da OBM, professor Carlos Gustavo Moreira, é esperado um bom resultado para este ano.  “A equipe tem tido excelente desempenho no processo de seleção e treinamento, e conta com integrantes que já têm um histórico olímpico com diversas conquistas importantes. Esperamos que os estudantes obtenham um resultado bastante expressivo na IMO.”

O Brasil vem progressivamente avançando no ranking da competição, na qual participa desde 1979. Em 2010, ficou em 35º lugar, em 2011, 20º e

no ano passado acabou em 19º lugar. “O Brasil organizará a IMO de 2017, e esperamos, além de organizar uma competição com alto nível acadêmico e com um ambiente fraterno e agradável para os participantes, ter nos consolidado até lá como um dos países com resultados mais sólidos nas várias competições internacionais de matemática que são realizadas anualmente”, disse Moreira.

A participação brasileira na competição é organizada pela Olimpíada Brasileira de Matemática, iniciativa que tem desempenhado um importante papel em relação à melhoria do ensino e descoberta de talentos para a pesquisa em matemática nas modalidades de ensino fundamental, médio e universitário nas instituições públicas e privadas de todo o país.

A OBM é um projeto conjunto do Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (IMPA), da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e conta com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), da Secretaria de Ciência e Tecnologia para Inclusão Social (Secis), do Ministério de Educação (MEC) por intermédio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), da Academia Brasileira de Ciências (ABC) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Matemática (INCT-Mat).

Para outras informações visite: www.obm.org.br

Contato:
Nelly Carvajal
Secretaria da Olimpíada Brasileira de Matemática
Tel: (21) 2529-5077
e-mail: obm@impa.br