Um projeto para fazer alunos campeões

Branquinha fica na região da mata alagoana, a 60 km de Maceió. Tem 13 mil habitantes e muitos problemas. No IDH do Censo 2010, ficou em 5.490º entre os 5.570 municípios brasileiros (96º entre 102 de Alagoas). Nesse mesmo ano, a enchente do rio Mundaú varreu a cidade do mapa: 90% dos prédios destruídos.

Ouvi falar do local por causa do Profmat (Mestrado Profissional em Matemática). É o maior mestrado do Brasil, formado por uma rede de mais de 70 universidades e institutos que atua em todos os Estados e é coordenada pela Sociedade Brasileira de Matemática. Seus alunos são majoritariamente professores de matemática na rede pública. Classificado com a nota máxima da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), já formou mais de 3.000 mestres desde 2011.

O Profmat também é um instrumento para conhecermos melhor a nossa educação, permitindo contato com realidades de todo o país. Aceitei com prazer o convite do professor Amauri Barros, da Universidade Federal de Alagoas, para participar da banca de mestrado do seu orientando, Cícero Rufino de Goes, da rede municipal de Branquinha.

Leia na íntegra: Colunista Marcelo Viana – Folha de S. Paulo

A Folha de S. Paulo não autoriza a reprodução do seu conteúdo na íntegra para quem não é assinante. No entanto, é possível fazer um cadastro rápido que dá direito a um determinado número de acessos.