Nota do IMPA sobre coluna do jornalista Elio Gaspari, nos jornais O Globo e Folha de S.Paulo, publicada em 11/12/2016

A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), criada pelo IMPA em 2005, é muito mais que uma competição. Entre suas iniciativas para formar alunos, destacam-se o Programa de Iniciação Científica (PIC) e o “OBMEP na Escola”.

Em 2015, o governo federal suspendeu, à revelia do IMPA, as bolsas a professores universitários que davam aulas aos 6.500 medalhistas da OBMEP no PIC. Desde que assumiu, há um ano, a atual direção do IMPA vem envidando esforços para reverter essa situação.

Diante da emergência, o IMPA integrou o PIC ao “OBMEP na Escola”, que seleciona 900 professores de educação básica, treinados por coordenadores universitários, para ensinar matemática avançada a 20 mil alunos. A junção dos programas atendeu a 26.500 estudantes, em 900 polos – quadruplicando o alcance anterior do PIC.

Em 2017, os medalhistas da Olimpíada voltarão a ter aulas pelo PIC em universidades. O “OBMEP na Escola” será mantido, com alunos da rede pública. O IMPA está otimista em obter junto ao governo federal recursos de R$ 17 milhões para os dois programas, entre bolsas de professores e alunos, beneficiando quase 30 mil estudantes no país.

Direção do IMPA