Concurso em Geometria e Topologia – UFPR

Estão abertas as inscrições para concurso na área de Geometria e Topologia
no departamento de matemática da UFPR. O edital pode ser encontrado em

http://www.progepe.ufpr.br/progepe/concursos/docente/concursos_publicos/editais/edital203-17.pdf

Outras informações nos endereços

http://www.mat.ufpr.br/departamento/concursos.html

http://www.mat.ufpr.br/documentos/concursos/programa_geometria_ufpr_2017.pdf

As inscrições encerram dia 10/07, porém as inscrições enviadas pelo correio
(sedex) devem estar postadas até 5 dias antes do encerramento.

Com 5ª maior delegação em congresso matemático, Brasil ganha destaque

Na abertura do primeiro Congresso Internacional de Matemáticos (ICM, sigla em inglês), em 9 de agosto de 1897, o holandês Adolf Hurwitz afirmou: “Poder expressar-se e se comunicar com os seus colegas é vital para todo matemático. E cada um de nós sabe por experiência pessoal como o relacionamento científico direto pode ser estimulante.” Hoje, estas afirmações são mais válidas do que nunca.

Não foi sempre assim. Até o século 19, havia muito poucos matemáticos –poucos cientistas em geral– e eles trabalhavam isoladamente e, muitas vezes, em segredo. Isaac Newton descobriu o cálculo matemático em 1671, mas reservou essa poderosa ferramenta para si mesmo, sem ter de enfrentar a concorrência. Assim, esse trabalho (Methodus fluxionum et serierum infinitarum) só foi publicado em 1736, após a sua morte.

Mas o mundo mudou. A Revolução Francesa de 1789 pôs em marcha uma profunda reestruturação social, na Europa e além, com a emergência de uma classe média cada vez mais interessada na aquisição e utilização do conhecimento. Ao mesmo tempo, a Revolução Industrial britânica ampliou enormemente o papel da ciência e da tecnologia como motores do desenvolvimento.

 

Leia na íntegra: Colunista Marcelo Viana – Folha de S. Paulo

A Folha de S. Paulo não autoriza a reprodução do seu conteúdo na íntegra para quem não é assinante. No entanto, é possível fazer um cadastro rápido que dá direito a um determinado número de acessos

PROFMAT: UMA REFLEXÃO E ALGUNS RESULTADOS

Está disponível para consulta o relatório com estudo dos resultados observados no acompanhamento e em avaliação suplementar
do Profmat, durante o período de 2013 a 2016.

Este estudo foi solicitado pela Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), dando continuidade ao processo de acompanhamento do
Programa e foi realizado pelo escritório Spineti Consultoria, Ensino e Pesquisa e coordenado pelas consultoras  doutora Flavia Carneiro
da Cunha Oliveira e doutora Cristina P. de M. Spineti Luz.

Apreciação e aprovação do parecer do Conselho Fiscal – votação aberta até 12/07/2017

Já está aberta no sistema da SBM a votação para Aprovação do Parecer do Conselho Fiscal e apreciação do Relatório da Auditoria sobre o exercício anterior.

Para votar, acesse http://votacao.sbm.org.br/ até 12/07/2017

O e-mail e a sua senha são os mesmos utilizados para acessar a área de associados.

Caso tenha esquecido a sua senha, é possível recuperá-la no Cadastro de Associados: http://associados.sbm.org.br/

Além disso, em caso de dúvida pode contactar o secretariado da SBM, por meio do e-mail secretaria@sbm.org.br ou do telefone (21) 2529 – 5065.

A sua participação é muito importante!

Conferencistas Plenários e Convidados do Congresso Internacional de Matemáticos 2018

Anunciados os conferencistas plenários e convidados do ICM 2018 no Rio de Janeiro

http://www.icm2018.org/portal/en/icm-speakers#pos1 .

O Brasil terá a quinta maior delegação no Congresso, logo depois dos Estados Unidos, França, Reino Unido e Alemanha. O pesquisador
• Carlos Gustavo Moreira (IMPA)
será conferencista plenário e o Brasil também contará com os seguintes conferencistas convidados no ICM 2018:
• Andrés Koropecki (UFF)
• Carolina Araújo (IMPA)
• Claudia Sagastizábal (LNCC)
• Claudio Landim (IMPA)
• Helena Nussenzveig Lopes (UFRJ)
• Lorenzo J. Díaz (PUC-Rio)
• Pedro Salomão (USP)
• Ruy Exel (UFSC)
• Robert Morris (IMPA)
• Tatiana Roque (UFRJ)
• Umberto Hryniewicz (UFRJ)
• Vyacheslav Futorny (USP)
Além disso, foi convidada como debatedora em uma das mesas redondas oficiais:
• Deborah Raphael (USP)

O sítio do ICM 2018 www.icm2018.org fornece informações sobre os prazos para inscrição, submissão de trabalhos, solicitação de apoio financeiro e propostas de conferências satélite.

Lógica matemática é a linguagem para falarmos com os extraterrestres

Estamos no ano de 2710. Na sequência de inúmeras explorações espaciais, finalmente a humanidade encontrou uma espécie inteligente extraterrestre: os Gödelianos do planeta X314. O contato é muito mais difícil do que previram os cientistas, e até os autores de ficção científica, pois os Gödelianos são uma espécie muito, muito estranha. (*)

Para começar, eles têm quatro sexos: os Verdadeiros, que sempre dizem a verdade; os Mentirosos, que sempre mentem; os Inconstantes, que tanto mentem quanto dizem a verdade; e os Doidos, os mais estranhos de todos, que não seguem as regras da lógica. Uma coisa que complica muito é que, na aparência, os quatro são totalmente idênticos: o sexo de um Gödeliano só pode ser identificado por meio de suas respostas a perguntas.

Lauralina, leitora assídua desta coluna, acaba de ser nomeada a primeira embaixadora da Terra em X314. A sua missão, ajudar na comunicação entre os dois povos, é crucial para a paz na galáxia. Mas primeiro ela tem de ser aprovada pelos Gödelianos, respondendo a uma série de perguntas. O governo alienígena prometeu que neste primeiro contato não participarão Doidos. No mais, Lauralina precisa ter muitíssimo cuidado: os Gödelianos são muito, muito sensíveis em questões de lógica.

 

Leia na íntegra: Colunista Marcelo Viana – Folha de S. Paulo

A Folha de S. Paulo não autoriza a reprodução do seu conteúdo na íntegra para quem não é assinante. No entanto, é possível fazer um cadastro rápido que dá direito a um determinado número de acessos

Concurso para Professor Efetivo – UFRRJ

Encontram-se abertas, entre 05/junho/2017 e 04/julho/2017, as inscrições para concurso para contratação de professor efetivo em regime de
dedicação exclusiva, classe/nível Assistente A1, para o Departamento de Tecnologias e Linguagens/Instituto Multidisciplinar da UFRRJ – campus Nova Iguaçu/RJ.

A vaga se destina a atuação no curso de Matemática. O concurso versará sobre os temas: Banco de Dados e Computação Gráfica.

Os requisitos são: Graduação em Matemática, Matemática Aplicada e Computacional, Ciência da Computação, Informática ou Engenharias.

Mestrado em Matemática, Matemática Aplicada e Computacional, Ciência da Computação, Informática ou Engenharias.

Mais detalhes encontram-se no site: www.ufrrj.br. (link Concursos) ou

Clicar em Inscrições Abertas -> Magistério Superior – > Edital nº 59/2017

Biênio da Matemática Brasil

A matemática potencializando o futuro.

Toda grande mudança requer uma grande mobilização. O Biênio da Matemática Brasil 2017/2018 é um movimento nacional , inédito no país, em favor da melhoria do ensino e do aprendizado da Matemática. Serão dois anos de grandes ações e eventos nacionais e internacionais, com pesquisadores e cientistas do mundo todo, professores, pais e alunos  respirando Matemática.

Dessa troca de experiências positivas nascerão ideias inspiradoras para mudar também a percepção e a atitude das pessoas em relação à Matemática, mostrando como ela é acessível e importante para o dia a dia e o futuro de todos. Mude você também: interaja, abrace e sorria para a Matemática. A vida vai sorrir de volta para você.

Pais podem diminuir ansiedade matemática dos filhos

Um amigo chamou minha atenção para artigo recente no “The New York Times” sobre “ansiedade matemática. Eu não conhecia o conceito, mas me parece bastante respeitável. Seu estudo remonta aos anos 1970 e continua muito ativo, envolvendo pessoas e instituições sérias. No mínimo, conduz a algumas conclusões saudáveis, que é bom conhecermos.

Estou habituado a que as pessoas reajam com muita apreensão à simples menção da palavra “matemática”. O mais recente foi um taxista simpático, ex-professor de português, que, ao descobrir o que eu faço, apressou-se a dizer “eu nunca tive cabeça para números”. Será que alguém diz “eu nunca tive cabeça para leitura”?!

A apreensão que muita gente demonstra em relação à matemática pode bloquear o raciocínio, impedindo de realizar todo o seu potencial. E é diferente de um simples nervosismo: observações já detectaram acelerações do ritmo cardíaco durante provas de matemática que não existem para outras matérias.

Leia na íntegra: Colunista Marcelo Viana – Folha de S. Paulo

A Folha de S. Paulo não autoriza a reprodução do seu conteúdo na íntegra para quem não é assinante. No entanto, é possível fazer um cadastro rápido que dá direito a um determinado número de acessos

Frações são as vilãs da matemática?

Em 1858, o jovem antiquário escocês Alexander Henri Rhind comprou no Egito um papiro -documento escrito num tipo de papel feito com o caule de uma planta aquática – que fora encontrado nas ruínas de Tebas, a antiga capital dos faraós. Rhind esperava que o clima do país ajudasse a curar a sua tuberculose, mas não deu certo: morreu cinco anos depois, e o papiro foi vendido ao British Museum, de Londres.

O papiro de Rhind contém uma coleção de problemas de aritmética, álgebra, geometria e outros temas. Datado de 1550 a.C., é um dos mais antigos documentos matemáticos conhecidos. O autor, o escriba Ahmes, explica ali que é cópia de um texto ainda mais antigo, que se perdeu. O texto contém alguns erros, mas não é possível saber se são obra de Ahmes ou se apenas os deixou passar.

Os primeiros problemas tratam de frações. Devem ter sido difíceis na época, porque os egípcios nunca desenvolveram uma boa notação para frações. Tirando 2/3, que tinha direito a um símbolo especial, eles só reconheciam frações com numerador 1. Por exemplo, o resultado da divisão de 31 por 51, que representamos como 31/51, para eles era 1/2 1/17 1/34 1/51
(porque 31/51 é igual a 1/2 mais 1/17 mais 1/34 mais 1/51). Dá para imaginar a loucura que seria fazer contas com tal notação! Acho provável que os alunos egípcios não adorassem aulas de frações…

Leia na íntegra: Colunista Marcelo Viana – Folha de S. Paulo

A Folha de S. Paulo não autoriza a reprodução do seu conteúdo na íntegra para quem não é assinante. No entanto, é possível fazer um cadastro rápido que dá direito a um determinado número de acessos.

Eleições para os órgãos dirigentes da SBM, biênio 2017-2019

Apurados os votos da eleição para o biênio 2015-2017, ficaram eleitos os seguintes candidatos:

Diretoria – Chapa 1:
Presidente: Paolo Piccione (USP);
Vice-presidente: Nancy Garcia (UNICAMP);
Secretário: Walcy Santos (UFRJ);
Secretário: Gregório Pacelli (UFC);
Secretário: Marcio Gomes Soares (UFMG);
Secretário: João Xavier (UFPI).

Conselho Diretor (4 vagas):
Carlos Gustavo Moreira (IMPA);
Cydara Cavendon Ripoll (UFRGS);
Jorge Herbert Soares Lira (UFC);
Ronaldo Alves Garcia (UFG).

Conselho Fiscal (3 vagas):
Marco Antonio Teixeira (UNICAM);
Paulo Cordaro (USP);
Sebastião Firmo (UFF).

Secretarias Regionais (1 vaga por região):
Região NO: Roberto Cristovão Mesquita Silva (UFAM);
Região NE: Paulo Alexandre Araújo Sousa (UFPI);
Região MG + CO: Jaqueline Godoy Mesquita (UNB);
Região RJ + ES: José Maria Espinar Gárcia (IMPA);
Região SP: Fernando Manfio (USP);
Região SU: Daniel Gonçalves (UFSC).

Clique aqui para conferir os resultados completos da votação.

Comissão Eleitoral da Eleição 2017

ASSEMBLEIA GERAL DA SBM – 13 DE JUNHO a 12 DE JULHO DE 2017

Em nome do Conselho Diretor, nos termos do Artigo 11 e seu Parágrafo Único do Estatuto da SBM, convoco todos os Associados em dia com o pagamento de suas anuidades a participarem na Assembleia Geral que será realizada, exclusivamente por via eletrônica, na página da SBM (https://votacao.sbm.org.br), de 13 de junho a 12 de julho de 2017, com a seguinte ordem do dia:
Apreciação e aprovação do parecer do Conselho Fiscal sobre o exercício anterior.
Cordialmente,
Hilário Alencar
Presidente

Maioria dos calculadores prodigiosos é, na verdade, ruim de matemática

A matemática costuma ser chamada “ciência dos números” e creio que a maioria das pessoas pensa que o trabalho e diversão do matemático é fazer contas. Isso é uma simplificação grosseira e, aqui entre nós, costuma deixar os matemáticos um pouco incomodados.

A disciplina lida com muitas noções fundamentais –forma, tamanho, movimento, conjunto, simetria, estrutura e outras–, o número é apenas uma delas. Anos atrás, quando a declaração do imposto de renda ainda era no papel, e a gente mesmo tinha de fazer as contas, ganhei o gentil convite de um vizinho para ajudá-lo. Acho que ele nunca entendeu por que não dei pulos de alegria.

Regularmente, surgem indivíduos com capacidade fenomenal para fazer, de cabeça e com grande velocidade, cálculos longos e complicados: multiplicações e divisões de números com muitos dígitos, cálculo de potências, raízes e até logaritmos. A impressão causada por essas proezas é tal que no passado muitos desses indivíduos eram apresentados publicamente como atrações circenses. Eles costumam exibir outras habilidades, como identificar rapidamente o dia da semana de datas longínquas ou estimar com precisão áreas e volumes só de olhar os objetos. É um talento raro, surpreendente e misterioso. E tem pouco ou nada que ver com a matemática.

Leia na íntegra: Colunista Marcelo Viana – Folha de S. Paulo

A Folha de S. Paulo não autoriza a reprodução do seu conteúdo na íntegra para quem não é assinante. No entanto, é possível fazer um cadastro rápido que dá direito a um determinado número de acessos.

Festival Regional da Matemática – São José do Rio Preto

Como atividade do Biênio da Matemática, o Departamento de Matemática da UNESP Rio Preto está realizando o Festival Regional da Matemática na região de São José do Rio Preto, com o objetivo de detectar e estimular iniciativas em prol da divulgação e popularização da Matemática, por meio de atividades lúdicas e divertidas voltadas a toda família, além de estimular o pensamento e criar conexões produtivas com o mundo que nos cerca.

O projeto, através de parceria das escolas de ensino básico e a UNESP, busca e apoia iniciativas que já vêm sendo realizadas na região de São José do Rio Preto para que ganhem destaque e novas ideias de atividades possam surgir.

O primeiro evento ocorrerá na próxima sexta-feira, dia 26 de maio, das 8h às 12h, intitulado “Matemática por toda parte”. O evento é executado pelos professores, alunos e funcionários da Escola Municipal Regina Mallouk, com o apoio do Departamento de Matemática da UNESP Rio Preto.

 

Para maiores informações acesse: http://www.ibilce.unesp.br/#!/departamentos/matematica/eventos/

 

A escola e seus problemas começaram há milênios

A civilização da Suméria prosperou no terceiro milênio a.C. na região da Mesopotâmia, onde agora é o sul do Iraque. Entre os seus grandes centros estava, por exemplo, a cidade de Ur, de onde sairia muito mais tarde o patriarca bíblico Abraão para dar início à saga dos hebreus. Há consenso de que os sumérios foram os primeiros inventores da escrita, cerca de 3.300 a.C.. Foi tal o brilho da Suméria que, muitos séculos depois de sua língua ter deixado de ser falada, continuou sendo usada por acadianos, assírios e babilônios como idioma de prestígio, da ciência, do direito e da diplomacia, um pouco como aconteceu com o latim na Idade Média europeia.

Mas a poeira do tempo tudo cobriu, e os sumérios foram esquecidos. Sua existência foi redescoberta no século 19. Primeiro de forma indireta, a partir do estudo das línguas dos sucessores mesopotâmicos –um pouco como o planeta Netuno foi encontrado a partir do seu efeito no movimento de outros planetas. Depois, a partir de 1880, escavações arqueológicas trouxeram à luz dezenas de milhares de documentos (tábuas de argila e inscrições em monumentos), que comprovaram não só a existência dos sumérios como a antiguidade de sua escrita.

Leia na íntegra: Colunista Marcelo Viana – Folha de S. Paulo

A Folha de S. Paulo não autoriza a reprodução do seu conteúdo na íntegra para quem não é assinante. No entanto, é possível fazer um cadastro rápido que dá direito a um determinado número de acessos.

4ª edição do Prêmio Respostas Para o Amanhã

A Samsung abre hoje as inscrições para a quarta edição do Prêmio Respostas para o Amanhã. Alunos do ensino médio de escolas públicas de todo o Brasil poderão, até dia 14 de agosto, inscrever seus projetos para melhoria de suas comunidades. Os interessados devem se cadastrar por meio do site www.respostasparaoamanha.com.br.

A proposta do concurso é incentivar estudantes a aplicar na prática conceitos de Ciências da Natureza e Matemática, por meio do desenvolvimento de projetos que realmente possam ajudar as regiões em que vivem, buscando identificar, estimular e difundir práticas educativas com impactos positivos no dia a dia.

Na edição de 2016, mais de 2.100 inscrições foram realizadas, envolvendo cerca de 37 mil alunos, sob a orientação de aproximadamente 2.600 professores de todo o Brasil.

Para a realização do programa, a Samsung conta com a coordenação geral do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária – Cenpec. A empresa tem também o apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), da Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e da Rede Latino-americana de Organizações Sociais para a Educação (Reduca), entre outros parceiros regionais e locais para dar visibilidade aos projetos.

Para ler o release completo clique aqui.

CONTATOS:
Fabiano Oliveira
Guilherme Galvão
Carolina Michelucci
E-mail: samsung@mslgroup.com
Tel: 11 3169.9361